Entre os meses de dezembro e março de 2022, a exposição Nise da Silveira – A Revolução pelo Afeto ficará em cartaz no CCBB Belo Horizonte, depois de uma temporada de sucesso no CCBB Rio de Janeiro. O mote foram os 22 anos da morte de Nise da Silveira (1905-1999) – e 22 é um número associado à loucura no imaginário popular, tema abordado de forma revolucionária pela psiquiatra.

Médica formada enquanto única mulher em uma turma com mais de 150 homens, ficou mundialmente conhecida pela ideia vanguardista de usar o afeto como metodologia científica no tratamento às pessoas com sofrimentos psíquicos. Ao buscar formas de acessar as camadas do inconsciente e criar um diálogo, através de ferramentas artísticas e com aplicações científicas, entre o inconsciente e a sua potente expressão em imagens, Nise reposicionou o entendimento de loucura na história da humanidade.

Com cerca de 100 obras surpreendentes, a mostra reunirá telas e esculturas de artistas do Museu de Imagens do Inconsciente ao lado de peças de Lygia Clark, Abraham Palatinik e Zé Carlos Garcia, retratos de Alice Brill, Rogério Reis e Rafael Bqueer, vídeos de Leon Hirzsman, reproduções de desenhos de Carl Gustav Jung, aquarelas e fotos de Carlos Vergara. A curadoria é do Estúdio M’Baraká, com consultoria do museólogo Eurípedes Júnior e do psiquiatra Vitor Pordeus.

 

Exposição “Nise da Silveira – A Revolução pelo afeto”

De 08 de dezembro de 2021 a 28 de março de 2022

Centro Cultural Banco do Brasil – (Praça da Liberdade, 450 – Funcionários)

Dias e Horários de visitação: de quarta à segunda, das 10h às 22h

Entrada Gratuita – mediante retirada de ingresso com agendamento prévio.

Sem mais artigos