Japan House divulga programação de fevereiro

Em fevereiro, a Japan House São Paulo oferece uma programação gratuita e variada, tanto no ambiente virtual como em sua sede, na Avenida Paulista. Dentre os destaques, está a reabertura da biblioteca, no térreo, composta por mais de 2 mil livros sobre o Japão divididos nas categorias de viagem, cultura, design, tecnologia, arquitetura, história, entre outros, disponíveis para consultas e leitura no próprio local.

Para quem quer aprender algo novo e se divertir em família, a dica é a Oficina Kuru Kuru Rainbow, que acontece em 6 de fevereiro (domingo), em dois horários: às 11h e 14h. A atividade presencial é inspirada na obra Reverse de Yusuke Komuta, que faz parte da exposição Simbiose: a ilha que resiste, e ensina o público a fazer este brinquedo tradicional que encanta crianças e adultos pelo Japão. Para participar, é necessário retirar senha na recepção com 30 minutos de antecedência.

No sábado, 12/2, às 17h, acontece o Ciclo de Mangá para os amantes dos quadrinhos japoneses. Nesta retomada do bate-papo virtual, a leitura gira em torno do mangá Silver Spoon, de Hiromu Arakawa, que acompanha a vida de Yugo, um garoto que decide estudar em uma escola agrícola, imaginando ser um meio mais fácil de se formar e, posteriormente, entrar em uma faculdade – e de se distanciar de sua família –, mas que logo no começo das aulas descobre que a realidade não era bem o que ele pensava. Em pauta estão temas ligados à obra, como a conexão entre os japoneses e a natureza, a importância e a diversidade do trabalho rural no Japão, bem como sonhos e desejos para o futuro. O link de acesso será divulgado na semana do evento, no site da Japan House São Paulo.

Já a rodada online de Conversas com o Educativo de fevereiro será sobre a história da fabricação do vidro no Japão, marcada pelo contato com o ocidente e pelo desenvolvimento de técnicas que transformaram essa matéria em algo profundamente japonês. Na conversa Do Biidoro ao Garasu: O Vidro no Japão, realizada dia 15 (terça-feira), às 16h, a ideia é compreender como a transformação do vidro dentro do país revela características importantes da cultura nipônica, partindo de uma visita à mostra Sopros. Os interessados devem realizar a inscrição prévia no site da instituição. O evento contará com os seguintes recursos de acessibilidade: libras, audiodescrição e legendas.

Também é possível fazer visitas mediadas presenciais à exposição Sopros – designs de vidro japonês, conduzidas pela equipe do Educativo da JHSP. Realizadas nos dias 9, 11, 16 e 18/2, em dois horários: 11h30 e 15h; e nos dias 23 e 25/02, somente às 11h30, as visitações promovem um diálogo a respeito das experiências dos visitantes na mostra.

Ainda seguindo o grande tema da exposição que ocupa térreo e o primeiro andar da instituição, a JHSP promove a mediação online Conhecendo Sopros, marcada para 25 de fevereiro, a partir das 17h. Durante a atividade, o público poderá conhecer algumas peças produzidas em vidro, presentes na mostra, que revelam características e hábitos da cultura japonesa.

Quem gosta de literatura não pode perder esta edição do Clube de Leitura, no dia 24, a partir das 19h, sobre a obra Minha noite no século vinte e outros pequenos avanços, do autor Kazuo Ishiguro. Com a mediação de Natasha Barzaghi Geenen, diretora cultural da JHSP, e Paulo Werneck, editor da revista Quatro Cinco Um, o Clube discute livros de autores nipônicos com o objetivo de ampliar o acesso dos brasileiros a este universo literário. Todo mês, o encontro de caráter informal, realizado de forma online na plataforma Zoom, conta também com a presença de um leitor convidado, e já recebeu grandes profissionais da tradução japonesa no Brasil, autores brasileiros contemporâneos, editores, críticos, jornalistas e personalidades da cultura. É preciso realizar inscrição prévia no site da Japan House São Paulo para participar e aguardar o envio do link de acesso no e-mail cadastrado.

Encerrando a agenda de fevereiro, o grande Daruma, de dois metros de altura da campanha #DARUMAJHSP segue percorrendo diversas ruas de São Paulo até 27 de fevereiro. Muito reverenciado e popular no Japão, o Daruma é conhecido como um amuleto da sorte para a realização de desejos, bastando pintar o olho esquerdo ao fazer um pedido e o direito quando este for atendido, em um processo chamado de “O abrir dos Olhos”. O roteiro segue pela Praça Sílvio Romero (até 6/2); Largo da Matriz da Freguesia do Ó (entre 7 e 13/2); Largo da Batata (14 a 20/2), terminando em frente a Japan House São Paulo (de 21 a 27/2). A ação conta com o apoio da Prefeitura de São Paulo, São Paulo Turismo (SPTuris) e Pilot Pen.

A partir de fevereiro, a Japan House São Paulo passa a exigir a apresentação do comprovante de vacinação para entrada na instituição. É solicitada a comprovação de, pelo menos, dois doses para visitantes acima de 18 anos e de, no mínimo, uma dose para pessoas de 12 a 18 anos. Serão aceitos como comprovantes a carteirinha de vacinação impressa ou código QR, disponível nos aplicativos ConecteSUS, E-Saúde e Poupatempo, juntamente com um documento oficial de identificação com foto.

Japan House São Paulo destaca extensa programação em formato presencial e online

Sem mais artigos