Obra une artistas de três nacionalidades

No dia 28 de maio, o Museu da Imigração (MI) – instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo – inaugurará a instalação “Eu vim de lá”, realizada por artistas do Brasil, da República Democrática do Congo e da Venezuela, às 11h. O projeto, resultado de uma parceria com a Folha de S.Paulo, ocupará o Espaço Contemporâneo, no primeiro andar.

> Siga o novo Instagram do Virgula! Clique e fique por dentro do melhor do Entretê!

Partindo de pesquisas nos acervos iconográficos do Museu e do jornal, Anaís Escalona, Shambuyi Wetu e Zé Vicente buscaram novos arranjos e configurações para as fotografias de migrantes e pessoas em situação de refúgio. Por meio de recortes e justaposições, a mostra revelará olhares originais sobre os fluxos migratórios em terras brasileiras e refletirá acerca das diferentes políticas de acolhimento, nem sempre debatidas.

Para o desenvolvimento do trabalho, cada artista colocou em prática a sua própria bagagem. De origem venezuelana, Anaís Escalona utiliza colagens e bordados para estabelecer uma relação entre memória e identidade. Já o congolês Shambuyi Wetu emprega suportes variados para discutir a diáspora africana. Por sua vez, o brasileiro Zé Vicente combina recortes e colagens no ambiente urbano, abrindo novas brechas para a construção de imagens.

Ainda, na instalação, o público poderá conferir bandeiras em tecido, criadas pelos artistas e costuradas pelas Emprendedoras Sin Fronteras, uma cooperativa formada por costureiras latinas. Na obra, comentam os desafios da imigração.

O museu fica próximo a estação de metrô Bresser Mooca. Os ingressos custam R$ 10 e meia-entrada para estudantes e pessoas acima de 60 anos. Aos sábados a entrada é gratuita.

Museu da Imigração inaugura obra criada por brasileiros, congoleses e venezuelanos

Sem mais artigos
Sair da versão mobile