Foto por Ciete Silvério

No ano em que é celebrado o centenário da Semana de Arte Moderna, o Museu da Língua Portuguesa, instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo, também faz parte da comemoração, oferecendo uma agenda intensa e gratuita de atividades para crianças, famílias, escolas e instituições sociais.

Para dar o pontapé nas festividades, promove a Ocupação Narrativas da Invenção, dentro do projeto Estação Férias, que fará um diálogo entre as obras do Movimento Modernista e as narrativas e as invencionices que pulsam no dia a dia de cada indivíduo em uma cidade como São Paulo.

A Ocupação reunirá educadores, artistas e outros profissionais que vão oferecer uma série de oficinas gratuitas no saguão B do Museu da Língua Portuguesa. Os encontros, voltados para o público de todas as idades, acontecerão de quinta a domingo, entre os dias 13 e 30 de janeiro.

Os temas serão os mais variados: da produção de desenhos e cartazes a gestos improvisados de dança. Ao longo da ocupação, a equipe de educadores vai também documentar as narrativas criadas pelos participantes e exibi-las em uma TV instalada no espaço.

A concepção e a curadoria da Ocupação são assinadas pela artista plástica Stela Barbieri – Binah Espaço de Arte. A produção é do NU Projetos de Arte.

Programação das oficinas:

Oficina 1: Gabinete de invenções do cotidiano – Oficina de cartazes (especialmente para maiores de 12 anos)
Os participantes serão convidados a criar cartazes sobre invenções do cotidiano, as chamadas gambiarras, que surgem pela necessidade de resolver um problema a partir da ideia de qualquer indivíduo.
Quinta e sexta, às 10h, às 14h e às 16h
Sábado, às 13h

Oficina 2: Riscadores inventados ou outras maneiras de usar os riscadores para desenhar (para crianças de até 4 anos de idade – a oficina é especialmente pensada para a primeira infância, mas pode ser feita por toda a família)
Com gravetos, molas, fios, garfos e bicos de confeitar, entre outros instrumentos, as crianças são estimuladas a fazer desenhos.
Quinta e sexta, às 10h, às 14h e às 16h
Domingo, às 13h

Oficina 3: Migrações, Caminhos e Mergulhos: Mapas inventados para histórias vividas (para toda a família)
Por meio de desenhos e mapas, os participantes vão tornar visíveis histórias construídas ao longo da vida por diferentes gerações.
Quinta e sexta, às 10h, às 14h e às 16h
Sábado e domingo, às 15h

Atividades especiais:

Linha narrativa: ateliê de histórias, com a artista e educadora Stela Barbieri
Cada participante, enquanto desenrola um novelo de lã, será convidado a contar uma história para uma outra pessoa. No fim, depois de ambos ouvirem as histórias um do outro, cada um vai escrever a história escutada em um livrinho.
Dia 15, às 11h

Imagens da memória: ateliê de ilustração, com o ilustrador e escritor Fernando Vilela
A ideia é criar ilustrações com colagens e carimbos sobre situações que acontecem em nosso cotidiano.
Dia 16, às 11h

Imagem e palavra: ateliê de quadrinhos, com equipe Binah (a arquiteta Fabiana Freier, a cineasta Flora Pappalardo e o artista visual Pedro Campanha)
A intenção é criar histórias ilustradas de invenções do cotidiano, levando em conta as características próprias de quadrinhos e livros ilustrados.
Dia 22, às 11h

Invenções do tempo: narração de histórias, com a diretora teatral Cris Ceschi
Cris vai contar algumas histórias ancestrais a fim de revelar os caminhos traçados que levaram às melhores invenções da humanidade.
Dia 23, às 11h

A invenção do riso: ateliê de palhaços, com o palhaço André Tato
Quando se está pronto para rir não dá medo de errar, a gente corre o risco e se abre para o inusitado. O palhaço e pedagogo André Tato vai falar sobre as ferramentas que utiliza para o ato de rir.
Dia 29, às 11h

Corpo/Gesto: ateliê de dança, com a professora Luiza Gaia
Luiza convidará todos a revisitarem seu corpo-morada e reinventarem as formas de ser e estar presentes no dia a dia. A pesquisadora tem o objetivo de evocar a potencialidade de gestos e movimentos nas situações mais simples e corriqueiras da vida.
Dia 30, às 11h

Sem mais artigos