Saiba como conservar os alimentos por mais tempo e evitar desperdício

Com aumento dos preços dos alimentos, saber usá-los em sua totalidade aliado as técnicas que aumentam a sua durabilidade e evitam o desperdício pode gerar um impacto positivo para o bolso e meio ambiente.

> Siga o novo Instagram do Virgula! Clique e fique por dentro do melhor do Entretê!

Pensando em levar mais qualidade de vida às pessoas e contribuir para um ecossistema cada vez mais saudável, o Viver Bem, programa da Sodexo Benefícios e Incentivos que promove ações de nutrição, saúde, bem-estar e qualidade de vida a todos os públicos, preparou alguns e-books que vão ajudá-lo a utilizar os principais métodos para conservar a comida por mais tempo.

Uma das formas mais eficaz é o congelamento correto. “O congelamento dos alimentos é uma técnica de conservação que preserva o sabor, cor, textura e conserva suas propriedades nutritivas.

Isso porque esse processo paralisa o crescimento de micro-organismos responsáveis pelo processo de decomposição”, explica Soraia Batista, nutricionista da Sodexo Benefícios e Incentivos e responsável pelo Viver Bem, apontando ainda dados da pesquisa O Futuro da Vida no Trabalho da Sodexo realizada em parceria com a Harris Interactive a qual mostra que 64% dos colaboradores, quando em casa, priorizam uma alimentação mais saborosa que aliada a uma boa conservação estimula o aproveitamento dos alimentos por mais tempo.

Confira as dicas a seguir :

  • Frutas
  • Para congelamento das frutas, é recomendado que elas estejam higienizadas, firmes, maduras e sem marcas. Em seu estado natural, depois de limpas e secas, retirar os caroços e colocá-las dentro de sacos plásticos bem fechados, apropriados para congelamento. Conservação: 3 a 6 meses;
  • Em uma vasilha, adicione açúcar nas frutas, intercalando em camadas. Logo em seguida, reserve até que açúcar se dissolva por completo para enfim, colocá-las para congelar. Conservação: 8 a 12 meses;
  • Prepare frutas em calda. Em uma panela, ferva água e açúcar em quantidades iguais. Para congelar frutas que escurecem rapidamente, como maçã e pera, adicione à calda uma colher de sopa de suco de limão. Coloque as frutas num recipiente plástico e cubra com a calda. Quando estiver frio, tampe o recipiente e congele. Conservação: de 8 a 12 meses;
  • Faça frutas em polpa ou purê. Retire as cascas e as sementes das frutas e bata no liquidificador. Para as frutas que escurecem, acrescente uma colher de sopa de suco de limão. Congele em formas, sem preenchê-las totalmente, pois o líquido se expande durante o congelamento. Conservação: de 3 a 6 meses.
  • Hortaliças
  • Utilize a técnica do branqueamento para conservar as hortaliças: lave verduras ou legumes em água corrente um a um (corte da forma em que serão consumidos). Procure cortar em pedaços uniformes para depois branquear por igual. Mergulhe os alimentos em uma panela com água fervente (fogo alto e panela tampada). Com o auxílio de uma peneira ou escumadeira, recolha os alimentos da fervura, colocando-os em outro recipiente rapidamente, com água e gelo. A água gelada interromperá o cozimento rápido. Acondicione legumes ou verduras em potes herméticos ou em sacos plásticos próprios para alimentos, preenchendo até a borda. Etiquete os recipientes e congele. A técnica de descongelamento varia de acordo com o preparo. As hortaliças podem ser descongeladas diretamente na panela, sob refrigeração ou em água fervente para terminar o cozimento.
  • Carnes (bovina, suína e aves)
  • As carnes não devem ser lavadas, pois desse modo retiram-se os nutrientes. Para congelar, a peça deve ser embalada sem ser dobrada e em porções isoladas para cada refeição. A carne ideal é a fresca, contudo, não é aconselhável congelar carne de animal recém-abatido. O descongelamento de carnes deve ser feito no refrigerador, de um dia para o outro;
  • Para aves, a embalagem mais prática para congelamento é o saco plástico. No caso do frango a passarinho ou em pedaços, o congelamento pode ser feito individualmente, lado a lado, em uma bandeja de alumínio com plástico. Feito isso, deixar no freezer até que fiquem duros e separar em porções adequadas para cada refeição. O descongelamento ideal para as aves é no refrigerador.
  • Peixes
  • Para congelamento, os peixes devem estar bem frescos ou resfriados. Se durante o transporte os peixes descongelarem, só poderão ser congelados sob a forma de pratos prontos. O descongelamento dos peixes deve ser feito no refrigerador ou podem ser levados diretamente ao forno ou à frigideira.
  • Crustáceos e moluscos
  • Os crustáceos e os moluscos comprados congelados, mas que sofreram descongelamento não podem voltar crus ao freezer. Deverão ser congelados sob a forma de pratos prontos;
  • O tempo de conservação do polvo é de, no máximo, 3 meses; já siris, caranguejos, lagostas, ostras e mariscos podem ser conservados por até 2 meses.
  • Ovos
  • No caso dos ovos inteiros, mexer com um garfo sem formar bolhas e adicionar sal ou açúcar, de acordo com a utilização posterior. A proporção de sal ou açúcar é de meia colher de café de sal ou açúcar para cada ovo. Em relação as gemas, mexer levemente com um garfo e adicionar açúcar ou sal de acordo com a utilização posterior. A proporção de açúcar ou sal é de meia colher de café de açúcar para cada duas gemas e meia colher de café de sal para cada quatro gemas. Já as claras, ao natural, colocando em recipientes fechados;
  • A validade é de 6 meses e o descongelamento deve ser feito no refrigerador.
  • Laticínios
  • Para leite fresco, ferver por dez minutos e resfriar. Para armazenar o leite, utilizar um recipiente de vidro ou uma embalagem plástica própria para líquidos, em formato de copo ou jarra;
  • Manteiga e margarina podem ser congeladas na própria embalagem ou em sacos plásticos;
  • Já os queijos congelam perfeitamente. Há exceção para o queijo fresco tipo minas e a ricota, que congelam apenas quando usados como ingredientes. Para congelar, primeiro utilizar o papel aderente; depois, a folha de alumínio ou o saco plástico;
  • O descongelamento dos laticínios deve ser feito sob refrigeração.
  • Tortas, doces e salgados
  • Para massa ou pães prontos (não amanhecidos) é possível congelar. Essa técnica faz com que esses produtos readquirem as características originais após o descongelamento;
  • Para massas cruas e fermentadas (esfirras e massas de pizza), é necessário pré-assar, esfriar e depois congelar. O congelamento deve ser feito individualmente, embrulhando os alimentos em papel alumínio antes de congelar.
  • Temperos
  • O alho pode ser congelado com os dentes descascados e inteiros ou processados (triturados). Para isso, coloque em um recipiente plástico e acrescente um pouco de óleo e congele;
  • Para cebolas, picar em rodelas ou em cubos e colocar em sacos plástico (sem ar) para congelar. A cebola pode ser congelada por até 6 meses;
  • Para salsinha e demais temperos verdes, lavar, higienizar, secar e picar os temperos. Congelar em potes plásticos. Os temperos verdes duram até 6 meses no freezer.
  • Arroz e feijão
  • Quando ocorrer sobras de arroz, colocar em sacos plásticos, retirar o ar, identificar e levar ao freezer. Para descongelar, aqueça na panela. Conservação: até 3 meses;
  • Para o feijão, no caso de sobras, colocar já frio nos potes plásticos e levar ao freezer. Para descongelar, aqueça na panela. Conservação: de 2 a 3 meses.

O e-book completo pode ser acessado clique aqui.

Saiba como conservar os alimentos por mais tempo e evitar desperdício

Sem mais artigos