(Da redação) Trinta pessoas foram executadas hoje pelo governo do Irã. Elas foram acusadas por tráfico de drogas, homicído e assalta à mão armada pela Lei Islâmica.

No Irã não há separação entre a religião e o direito. A Lei Islâmica pune com pena capital crimes como assassinato, estupro, seqüestro, assaltos e homossexualismo. As pessoas adúlteras tem como punição o apedrejamento.

As execuções aconteceram nesta madrugada na prisão de Evin, na capital do país, Teerã. Ano passado, dezenas de pessoas foram executadas por crimes similares no país islâmico.

O apoio do governo nesses tipos de execuções são para combater o crime no país, como uma campanha de segurança das autoridades locais. Diversas organizações internacionais condenam esse tipo de atitude por violar os direitos humanos.

Sem mais artigos