Parece que a polícia portuguesa está prestes a solucionar o caso Madeleine. Segundo o jornal britânico The Times, a polícia coletou amostras de DNA que correspondem 100% ao da menina britânica desaparecida há 131 dias na Praia da Luz, em Portugal.

As amostras foram encontradas debaixo do tapete do carro que os pais de Madeleine alugaram depois de seu desaparecimento. Isso seria uma prova de que o casal transportou o corpo da menina no carro. Uma outra amostra teria sido encontrada na mala e corresponderia a 80% do DNA de Madeleine.

Um dossiê com todas as provas de DNA, transcrições dos interrogatórios e de conversas telefônicas grampeadas entre os McCann e amigos será entregue ao promotor português responsável pelo caso, João Cunha de Magalhães e Menezes. E-mails enviados pelo casal também teriam sido interceptados.

Os pais afirmam ser inocentes e dizem que a prioridade da família é descobrir o que aconteceu à criança. Eles voltaram para a Grã-Bretanha sob acusações da imprensa portuguesa de que o retorno não passou de uma manobra jurídica para dificultar um possível processo contra eles.

Sem mais artigos