Concebida pelo designer gráfico japonês Kenya Hara, a exposição “Arquitetura para cachorros” abriu suas portas nesta sexta-feira (25), em Tóquio, Japão, com uma seleção de projetos pensados para inquilinos caninos assinados por renomados arquitetos.

A mostra, organizada na Galeria TOTO MA no bairro de Roppongi, exibe 13 trabalhos que buscam explorar “as novas possibilidades de uma arquitetura feita sob medida para os cachorros”.

As obras expostas vão desde a casinha de balanço criada pelo estúdio holandês MVRDV para um cachorro da raça beagle até a estrutura pensada para um bichon frisé desenvolvida pela japonesa Kazujo Sejima, vencedora do Prêmio Pritzker 2010, que emprega um material branco e pomposo idêntico ao pelo dessa raça canina.

Já o arquiteto japonês Sou Fujimoto apresenta uma interessante proposta intitulada “No dog, no life” pensada para um Boston terrier que divide uma casa com uma família.

“O normal é que a arquitetura esteja enquadrada na natureza, e no caso deste tipo de construção, a natureza, em forma de cachorro, também está dentro da arquitetura”, explicou à Agência Efe Fujimoto.

O arquiteto japonês elaborou uma “interface” que transforma os conceitos de “interior” e “exterior” da arquitetura e permite o diálogo entre cachorros e humanos.

O resultado é uma estrutura que aos olhos humanos funciona como uma estante e que serve ao mesmo tempo de casinha para cachorro, que enxerga a composição não como um móvel, mas como um elemento que o protege.

Entre a atividade rotineira de colocar ou retirar coisas de uma estante e a do cachorro que dorme é criada uma comunicação entre o dono e animal, explicou o arquiteto.

Fujimoto admitiu que a casinha é semelhante ao seu pavilhão de verão na Serpentine Gallery, em Londres, uma construção concebida também como uma “interface entre a natureza e o ser humano e que também questionava como seria a relação entre o interior e o exterior”.

As obras da mostra, que passou já por Miami e Los Angeles e cujo conteúdo pode ser visto pelo site architecturefordogs.com, poderá ser visitada até o dia 21 de dezembro em Tóquio.

Sem mais artigos