Ministério da Educação:O Ministério japonês da Educação, Cultura, Esporte, Ciência e Tecnologia oferece seis tipos de bolsas em universidades públicas. As bolsas de graduação e pós são as mais desejadas. Os que disputam as vagas de pós precisam contatar universidades japonesas para obtenção da Carta de Aceitação de um orientador. Com a bolsa, é possível realizar pesquisas e cursar mestrado e/ou doutorado. É imprescindível falar inglês.

Também são oferecidas bolsas para estudar nas escolas técnicas. É preciso ter mais de 18 anos, cursar 1 ano de japonês e prestar exame de admissão. Já para os cursos profissionalizantes, é preciso fazer um curso preparatório e aprender a língua por um ano. A bolsa para estes cursos proporciona o aprendizado de técnicas e conhecimentos necessários para a vida profissional.

Bolsa para realizar pesquisas relacionadas à educação em universidades japonesas. O público alvo – professores, orientadores, assistentes educacionais e diretores do ensino fundamental e/ou médio – deve ter domínio da língua japonesa ou inglesa e 5 anos de experiência.

Visto:Os portadores dos vistos teijuusha, nihonjin no haiguushatoo e o permanente, podem desfrutar dos mesmos direitos que os japoneses. Quem não tem nenhum desses, deve solicitar o de estudante. Para obtê-lo, é preciso ser aprovado no exame de japonês em um dos dois níveis mais avançados. Outra opção é estudar a língua por pelo menos seis meses em uma escola de idiomas, antes de solicitar o visto.

Continua: Quer trampar no Japão? Veja as dicas!

Sem mais artigos