O Brasil já é um país de classe média, aponta uma matéria publicada na edição desta semana da tradicional revista inglesa The Economist. A publicação cita dados da Fundação Getúlio Vargas e analisa as razões que transformaram mais da metade da população do país em integrantes dessa classe social.

Com o crescimento de vagas de emprego na economia formal e a melhora no nível de educação – e conseqüente maior permanência dos alunos na escola – a desigualdade diminuiu significativamente em relação às décadas de 80 e 90, indica a reportagem. Ela também analisa os hábitos de consumo, inclusive comentando um fato curioso: embora não procurem lojas voltadas ao mercado mais rico, a nova classe média também rejeita lojas que “pareçam baratas”. Além disso, também os padrões de beleza vêm se alterando. Com mais recursos para investir em moda, beleza e até cirurgias plásticas, os brasileiros têm sido influenciados por atores de novela e gasto mais do que nunca nesses setores.

(com informações da BBC Brasil)

Sem mais artigos