Clara Averbuck

Facebook/Reprodução Clara Averbuck

O estupro sofrido e relatado pela escritora Clara Averbuck por um motorista da Uber no último fim de semana voltou a colocar em discussão a segurança da mulher no transporte por aplicativo.

Clara foi violentada na madrugada de segunda-feira (28) após voltar de um encontro com amigos. O relato, postado originalmente no perfil da escritora, afirma que o motorista havia se aproveitado do estado de embriaguez de Clara para colocar um dedo em sua vagina, à força, sob o pretexto de ajudá-la a sair do carro.

“Eu queria chamar de ‘tentativa de estupro’, mas foi estupro mesmo. Tava bêbada? Tava. Foda-se. Não vou incorrer no mesmo erro de quando eu era adolescente e me culpar”, desabafou ela.

O texto veio juntamente do lançamento da campanha #MeuMotoristaAbusador, que reúne relatos de pessoas que foram alvo de ataques e assédios por parte de homens em carros solicitados por aplicativos de transporte. Em nota, a Uber disse ter descadastrado o motorista e afirmou estar à disposição para colaborar com as investigações.

Veja abaixo alguns depoimentos colhidos pela tag:

Sem mais artigos