A chefe de June J. Riva disse a ela que o jeito que a funcionária se vestia não era profissiona. Aí, ela resolveu ir trabalhar de cosplay

Reprodução

A chefe de June J. Riva disse a ela que o jeito que a funcionária se vestia não era profissional. Inclusive, por causa do jeito que ela usava seu cabelo. Mal sabia ela a forma que June, que é cosplayer, responderia a essa crítica sem fundamento.

“Minha chefe não gostava que eu usasse um rabo de cavalo todos os dias. Ou um lenço na cabeça. Não era profissional. Tranças? Nada profissional! Portanto, eu preenchi uma queixa de perseguição e assédio moral, já que não há nada disso no meu contrato. ‘Sem dress code. Apenas esteja limpo”, escreveu June no Facebook.

A chefe de June J. Riva disse a ela que o jeito que a funcionária se vestia não era profissiona. Aí, ela resolveu ir trabalhar de cosplay

Reprodução

A chefe de June, na verdade, criou um próprio código, em que proibia sandálias, chapéu, lenços e muitas outras coisas. As novas regras, porém, não diziam nada sobre Cosplay. Depois de denunciar a chefe para o RH, ela decidiu se divertir um pouco e começou a ir todos os dias como cosplayer.

Sem mais artigos