China bane reality shows, homens “afeminados” e influenciadores “vulgares”

Nesta quinta-feira (2), o governo chinês divulgou uma decisão polêmica de seu país. De acordo com um comunicado oficial, a China proibiu a exibição de alguns realities, além da divulgação de imagens de “homens afeminados”, artistas com posições políticas “incorretas” e influenciadores “vulgares”.

A decisão é uma resposta do governo à diversas polêmicas envolvendo nomes famosos do país asiático. Entre eles, Kris Wu, cantor sul-coreano acusado de estupro, e a atriz chinesa Zheng Shuang, condenada a pagar uma multa de US$ 46 milhões  por sonegação de impostos.

“As redes de televisão e as plataformas online não devem mais exibir programas que promovam a idolatria nem reality shows”, disse o comunicado, que também destaca a necessidade incentivar o estabelecimento de “critérios de beleza corretos”, banindo, assim, a divulgação de imagens de homens “afeminados e influenciadores vulgares”.

Sem mais artigos