O Partido Conservador britânico dará liberdade de voto a seus parlamentares na legalização do casamento homossexual que o Governo de coalizão quer aprovar antes de 2015, segundo informou hoje a “BBC”.

Embora o próprio primeiro-ministro “tory” David Cameron apoiou esta medida em várias ocasiões, muitos de seus companheiros de partido e inclusive alguns dos membros do Executivo mostraram publicamente suas dúvidas perante esta iniciativa.

O casamento gay, que também suscitou a rejeição de alguns setores religiosos, se entende entre as fileiras conservadoras como uma prioridade de seus companheiros de coalizão, os liberal-democratas.

“Meu instinto me diz que não tenho que apoiar estas propostas e, portanto, vou votar contra a legalização do casamento homossexual”, disse recentemente o secretário de Estado da Infância, Tim Loughton.

Londres apresentou no dia 15 de março seu plano para legalizar o casamento entre casais do mesmo sexo, que atualmente está submetendo a um período de consulta de três meses antes de iniciar sua tramitação parlamentar.

Desde 2005, no Reino Unido os gays e lésbicas podem optar pela união civil, uma figura jurídica que dá praticamente os mesmos direitos que o casamento à exceção do nome, por isso que a nova lei teria mais um caráter simbólico mais que real quanto à melhora dos direitos deste coletivo.

Sem mais artigos