Aumenta número de crianças trabalhando nas plantações

O trabalho infantil na indústria do tabaco continua em ascensão em países mais pobres e não condiz com as alegações de empresas multimilionárias produtoras de cigarro, segundo investigação do The Guardian. Crianças de 14 anos ou menos na África e Ásia são tiradas da escola para trabalhar colhendo e embalando folhas de tabaco, posteriormente vendidas a outros países.

Famílias que têm dívidas com proprietários de terra acabam colocando os filhos para trabalhar de graça como forma de pagamento. De acordo com a secretária-geral da Organização Mundial da Saúde na área de controle de tabaco, Vera da Costa e Silva, cerca de 1.3 milhão de crianças por ano trabalham nos campos de tabaco desde 2011. Segundo a Organização das Nações Unidas (ONU), os números estão subindo.

Países como Malawi, México e Indonésia registram situações críticas de trabalho infantil nas plantações de tabaco, de acordo com o levantamento do The Guardian. Bangladesh, Cazaquistão, Indonésia, Brasil e Zimbabue também estão na lista.

Campanha da Save The Children contra o abuso sexual infantil

Cresce o número de crianças trabalhando em campos de tabaco

Sem mais artigos