Cerca de 2 milhões de crianças no Iraque enfrentam ameaças devido a doenças, desnutrição, falta de escolas e violência, segundo relatório divulgado pela Unicef, o Fundo das Nações Unidas para a Infância e a Adolescência. A agência da ONU afirma que as crianças iraquianas ficaram mais vulneráveis em 2007 e ainda pagam um preço alto pelo conflito no país.

A cada mês, uma média de 25 mil crianças precisa deixar suas casas junto com suas famílias, fugindo da violência ou de intimidação.

O cenário no país cria uma situação de penúria para muitas crianças e prejudica o acesso à saúde pública e à educação, de acordo com o relatório. O Unicef calcula que cerca de 750 mil crianças iraquianas não freqüentam o ensino primário.

Sem mais artigos