Na noite dessa segunda-feira, 7 de novembro, o vice-presidente Michel Temer (PMDB) resolveu abrir o coração e mandar AQUELE textão para a presidenta Dilma Rousseff (PT), em seu gabinete. Segundo ele, a carta deveria ser vista como uma forma de “desabafo”, algo que ele já deveria ter feito há alguns anos. Temer acredita ser apenas um “acessório decorativo” para Dilma, e tem plena consciência da desconfiança da presidenta em relação a ele e a seu partido, o PMDB – palavras dele.

Sentiu a sofrência? Pois é, você não foi o único. Logo que essa cartinha “vazou” e pode ser lida pelo maravilhoso mundo dos internautas, não teve jeito. O desabafo do coração partido de Temer virou piada nas redes sociais, a começar pelas primeiras linhas da carta, que são uma citação em latim. Qual é a necessidade disso, cara?

Teve gente, aliás, que notou semelhanças entre o tom da carta de Temer e uma canção clássica da Kelly Key.

Mas o que será que a Dilma fez pro cara ficar tão bolado? “QUEEEM É MAIS SENTIMENTAL QUE EEEEEEU?”

Olha aqui, Dilma, queridinha: parece que o jogo virou, não é mesmo?

No fundo, o coitado do Temer só queria que a Dilma aceitasse seus protestos de amor…

Bonita a intenção de valorizar o papel e a arte da caligrafia, mas não rolava mandar um whats?

“Você tá bravo, Michel?” “Não, Dilma” “Então, tá” “OLHA EU SÓ ACHO ENGRAÇADO Q”

“Dilma, não sou mais o moleque bunda mole que você conheceu 5 anos atrás!!!!!!”

Então, cê vai querer disputar mesmo, Temer?

Além de tudo, Temer fez aquele papelão do boy que quer sair por cima depois do término. Afffffff!

Sem mais artigos