Apesar de ser apenas uma maneira de falar ou explicar o corpo de uma pessoa, a palavra “gorda” ainda carrega um estereótipo negativo e é tida como uma ofensa na sociedade que rotula mulheres fora do padrão de beleza das passarelas. Contra a gordofobia e todas as variações que tentam incriminar e perseguir essas mulheres, a jornalista Jéssica Balbino respondeu a uma tentativa de agressão da melhor maneira possível, no próprio Facebook.

Quando saiu de casa para trabalhar, ela viu que o muro de sua casa havia sido pichado algumas horas antes, com a frase “Jéssica gorda”. Era para ser um xingamento? Jéssica apenas fotografou o ocorrido e fez questão de reforçar que aquilo não era ofensa nenhuma, muito pelo contrário: trata-se apenas da verdade, sem rebusco ou enrolação. Gorda, sim, e daí?

Jéssica Balbino teve o muro de casa pichado e deu a melhor resposta para os agressores: gorda, sim. E daí?

“Aí hoje eu acordei pra ir trabalhar e tinha essa pichação no meu muro. Acho que faltou o ‘linda’ na frente, mas ainda bem que contaram algo que eu sou, né. Se a intenção era me ofender, deu errado, porque me representa. Ficaria chateada se tivessem dito que eu sou burra, criminosa, ou algo do tipo. Gorda é exatamente o que sou”, respondeu Jéssica, no post dessa foto, que você pode ver aqui nesse link.

A resposta foi tão maravilhosa que a publicação já tem mais de 100 mil likes, 10 mil shares e muitos comentários em apoio à jornalista. Teve até intervenção especial, via Paint e Photoshop, para colocar um pouco mais de amor nessa agressão sem sentido ou fundamento.

Linda, poderosa e gorda!

Pois é, Jéssica não está sozinha nessa e deu uma lição de amor próprio, confiança e autoestima que consegue superar toda a carga negativa e bad vibes da pessoa que quis ofendê-la com a pichação. Uma pena, não foi dessa vez e também não será nas próximas, a jornalista garante. Em entrevista ao BuzzFeed, Jéssica contou que seu pai ficou triste porque o ato acabou sujando a parede de casa, mas sem crise, também. Depois de pensar melhor na situação, ela apenas riu e se sentiu contemplada pela “ofensa”, que não ofende em nada.

Arrasou: sim ou com certeza?

A primeira vez que 10 mulheres foram chamadas de 'gorda'

“Eu estava no sexto ano, quando duas meninas populares na escola me perguntaram se eu queria ir com elas à academia depois da aula. Pedi permissão aos meus pais e no outro dia disse a elas que eu poderia ir. Mas elas começaram a rir de mim. ‘Nós não vamos à academia com você porque você é gorda’, elas disseram.” Olivia, 28
“Quando eu tinha quatro anos, lembro que eu estava querendo deitar na cama dos meus pais no fim de semana. Estava vestindo uma camisola que era um pouco curta e lembro que meu pai começou a beliscar meus joelhos gordinhos e dizer: ‘você é tão rechonchuda, que fofa! Só não continue assim quando você crescer, ok?’.”  Bryanna, 31
“Quando eu tinha oito anos, estava no shopping com a minha mãe e a minha vó. Eu um vi um manequim usando um vestido lindo que eu gostei. Pedi para minha mãe me deixar experimentar, e ela disse: ‘Não é para meninas como você’.” Sally 35
“Eu tinha caso com um cara e quando a gente estava na cama, ele perguntou: ‘você está se cuidando? Comendo direito?’ Eu respondi: ‘sim, por quê?’ e ele disse que queria ter certeza que eu estava bem. Claro que me achou gorda.” Lexi, 30
“Eu devia ter uns 22 anos. Tinha idade suficiente para beber, mas não estava acostumada a frequentar bares. Eu estava em um pub com uma amiga, a gente estava indo embora, quando um cara bêbado gritou ‘você tem uma bunda gorda’. Eu comecei uma dieta no dia seguinte.” Alexa, 33
“Eu tinha 16 anos e estava mais gordinha na época. Alguém escreveu na mesa da escola que eu era gorda. Não sei quantas pessoas viram aquilo, mas eu fiquei muito chateada.” Krista, 30
“Eu tinha 15 anos e estava namorando um garoto mais magro. Um amigo dele uma vez me disse: ‘você foi construída como uma casa de tijolos, ninguém quer consegue atravessar’. Tive que perguntar para minha mãe o que significava a frase e fiquei arrasada.” Lindsay, 27
“Eu tinha 17 anos e um agente de modelos disse que eu era muito gorda para trabalhar na moda. Um mês depois fui diagnosticada com anorexia.” Katya, 32
“Eu estava esperando o ônibus, então um grupo de alunos passou e imitou o barulho de uma vaca, depois me chamaram de vaca gorda. Depois fizeram a mesma ofensa na sala de aula e toda a sala começou a me humilhar.” Misti, 30
“Eu tinha entre oito e nove anos e estava na rua brincando ocm meus amigos. Estava usando biquini e andando de bicicleta quando ouvi algumas crianças mais velhas fazerem piadas sobre mim. Eu não tinha ideia do que era ser gorda naquela época, mas me lembro exatamente de como me senti.” Kristi, 37

Gorda, sim. E daí? Resposta de jornalista sobre pichação ganha as redes sociais

Sem mais artigos