(Da redação) – O mundo não acabou, mas melhor não se encher de esperanças assim tão cedo. Se depender da segurança do Grande Colisor de Hádrons (o já famoso LHC) as preocupações espalhadas pelo mundo nos últimos dias podem nem ser tão absurdas. Pelo menos é o que dizem os jornais ingleses Times e Daily Telegraph, que informaram que hackers gregos teriam invadido alguns dos computadores que controlam o acelerador de partículas. Eles não chegaram a provocar nenhum dano, e parece que nem era essa mesmo a intenção. Na verdade, queriam apenas comprovar a fragilidade do sistema, sediado em Genebra, na Suíça.

O ataque teria acontecido logo no primeiro dia de funcionamento do LHC, na quarta passada, e provocado mais constrangimento ao Conselho Europeu de Pesquisas Nucleares (CERN) do que qualquer outra coisa. Segundo o porta-voz do CERN, James Gillies, o ataque dos piratas virtuais foi detectado imediatamente e nenhum estrago foi causado.

Quem também tentou atrapalhar a vida dos pesquisadores foi uma alemã que vive na Suíça – cujo nome não foi divulgado – que entrou com uma ação de urgência perante o Tribunal Administrativo de Colônia, na Alemanha, pedindo a interrupção imediata das atividades do LHC. O Tribunal rejeitou o pedido.

(com informações da Deutsche Welle)

Sem mais artigos