Uma cadeira ‘educativa’ para homens levou o primeiro lugar do concurso de design Belmond New Designer 2019. O projeto ‘Uma Solução para o Manspreading’ é da britânica Laila Laurel, de 23 anos, que fez de sua obra um protesto contra o hábito que muitos homens têm de sentar com as pernas abertas, principalmente em locais públicos, invadindo o espaço de quem está sentado ao lado. A ação é conhecida como ‘manspreading’,

A estudante da Universidade de Brighton apresentou duas peças ao concurso: uma para mulheres, que as encoraja a sentarem com as pernas abertas, e outra para homens, com formato triangular que os impede de se expandirem tanto.

Em conversa com o site The Independent, Laurel explica: “criei estas cadeiras a fim de identificar e desafiar problemas em relação ao ato se sentar, que podem ser direcionados a um gênero específico, como o ‘manspreading’, por exemplo”. E nada melhor do que o humor para dar uma alfinetada nessas dificuldades diárias.

Peter Isotalo/Creative Commons

“Eu quero que meu trabalho seja importante e provocativo, mas também engajado e engraçado. Acho que o humor é uma ferramenta bem interessante para resolver questões sociais”, afirmou em entrevista à BBC UK.

Contudo, alguns homens não pareceram entender a crítica bem humorada. Laurel conta que começou a sofrer ataques nas redes sociais: “tenho recebido muitas mensagens explícitas de homens que têm a impressão que eu odeio todos os homens… Mas isso não poderia estar mais longe da verdade”, desabafa.

A estudante ganhou uma bolsa de mil libras, o equivalente a mais de R$ 4.600, e a chance de desenhar um produto para a empresa de lazer Belmond. Ela sabe que o produto é “mais um conceito e não necessariamente funcional”, mas ficou feliz – e se sentiu encorajada – ao ver que os juízes “gostaram de um design com uma inclinação feminista”.

Sem mais artigos