Suas garras foram removidas para que ela não machucasse o lutador russo Salim Zhambeev. Você concorda com esse tipo de adoção?

Reprodução Suas garras foram removidas para que ela não machucasse o lutador russo Salim Zhambeev. Você concorda com esse tipo de adoção?

Todos nós já assistimos a documentários, filmes, reportagens e desenhos (Simba, por favor?) sobre a vida selvagem e pacata dos leões, reis do mundo animal. Às vezes, eles apenas parecem gatos gigantes e preguiçosos, brincando com os filhotes ou se espreguiçando depois de uma soneca. Dá vontade de ter um em casa? Dá, sim, mas sabemos que o temperamento desses felinos é um pouquinho complicado e imprevisível, para dizer  o mínimo. E não é que tem gente que acha meeeesmo que leão é bicho de estimação, minha gente?

Adivinhe a nacionalidade do sujeito. Só poderia ser da Rússia, né? O lutador Salim Zhambeev, de Nalchik, tem causado polêmica entre ativistas e defensores dos direitos dos animais. Isso porque ele resolveu adotar uma leoa filhote e removeu suas garras para garantir um convívio seguro e sem cicatrizes. Além de manter a felina em casa, como um verdadeiro “pet”, Salim aproveita para treinar alguns golpes e movimentos com a leoa. Ela parece tranquila com o dono, embora não seja algo permanente ou 100% garantido, claro.

Os ativistas afirmam que o grande problema está na remoção das garras da leoa; de volta à natureza, ela não teria muitos recursos para se defender de outros predadores. Salim não parece muito interessado em soltá-la em seu habitat natural, porém. Na casa do russo, a leoa recebe tratamento de gente e tem até uma “caminha” só sua, além de ser alimentada com 7 kg de carne crua todos os dias. Veterinários pedem que o lutador deixe o animal sob os cuidados do zoológico mais próximo.

“Não há nenhuma garantia de que a leoa manterá o temperamento tranquilo e controlado conforme amadurecer. Ela pode machucar os próprios donos”, afirma o veterinário Eduard Meshin. Veja mais fotos da leoa na galeria abaixo:

Sem mais artigos