(Da Redação) – O empresário Marcos Valério, acusado em 2005 de ser parte importante no esquema do mensalão, foi condenado pelo Tribunal de Justiça de Minas Gerais por falsidade ideológica. e deverá prestar serviços comunitários. O empresário e outras sete pessoas foram considerados culpados por emissão de notas fiscais falsas vindas da empresa SMP&B Comunicação, no período entre agosto de 2002 e novembro de 2003, para simular pagamentos a uma prestadora de serviços.

Valério e dois sócios, que haviam sido condenados como cabeças da fraude, tiveram pena inicial de um ano e meio de prisão. Porém, o juiz Walter Luiz de Melo reverteu a pena em suaves prestações de serviços comunitários. Mas como a decisão é de 1ª instância, ainda cabe recurso.

A defesa de Marcos Valério usou o argumento de que a empresa recolhia impostos com base em um percentual sobre o valor das vendas, sem relação direta com o lucro da empresa. Também alegou que a participação de Valério no esquema não pode ser confirmada pelas provas apresentadas.

O juiz afirmou que foi utilizado como prova cópias dos documentos fiscais que confirmaram a atividade ilegal da empresa e também pelo depoimento de pessoas que estavam presentes durante os pagamentos feitos à “empresa prestadora de serviços”.

Qual é o
seu ritmo? Seja qual for, venha curti-lo de uma forma diferente!

Sem mais artigos