A ONU lançou acaba de lançar em São Paulo uma campanha para incentivar a igualdade e os direitos dos homossexuais diante dos “alarmantes” índices de violência contra lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais.

De acordo com o diretor de informação da ONU no Brasil, Giancarlo Soma, uma pessoa morre por dia por causa de homofobia.

“As atitudes homofóbicas ainda estão por todo o planeta, o coletivo LGBT ainda sofre discriminação diária na rua, no trabalho, em pleno século XXI”, afirmou Soma durante o lançamento da campanha “Livres e Iguais”.

A iniciativa, criada pelo Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos junto com a Fundação Purpose, foi lançada mundialmente em julho e aterrissa agora no Brasil com o objetivo de “garantir mais atenção e mais respeito aos direitos dos grupos LGBT”.

Segundo relatório divulgado no início deste ano pelo Grupo Gay da Bahia, 312 homossexuais foram assassinados no Brasil em 2013, o que representa uma morte a cada 28 horas.

“Os estados têm a obrigação jurídica de promover o respeito às pessoas do LGBT”, disse durante a apresentação da campanha o representante adjunto do alto comissário da ONU no Brasil, Humberto Henderson.

O presidente do Desfile do Orgulho Gay de São Paulo, Fernando Quaresma, reconheceu a importância do apoio da ONU para avançar na luta contra a homofobia.

“É muito importante ter o apoio da ONU, embora seja tarde, para tratar o tema da campanha em países que não possuem leis contra a homofobia e condenam à morte os LGBT”, comentou Quaresma. 

Sem mais artigos