Os Porta-bandeiras das Forças Armadas dos Estados Unidos abrirão nesta sábado (7) pela primeira vez na história do país, a parada do orgulho gay que acontecerá em Washington, anunciou nesta sexta-feira (6) o jornal The Washington Post.

“O Departamento de Defesa autorizou o que os grupos de militares que defendem os direitos dos homossexuais e organizadores do desfile dizem que será algo inédito em todo o país: uma guarda que levará as bandeiras dos EUA e de cada uma dos braços das Forças Armadas”, afirmou o diário.

O destacamento de oito soldados liderará o percurso de 2,5 quilômetros na capital americana e ficará na frente do estandarte principal e do porta-bandeira da marcha, que este ano será o ex-jogador de futebol Chris Kluwe.

Os soldados que participarão do desfile pertencem ao distrito militar federal de Washington, corpo encarregado de alocar os guardas para os atos do presidente dos Estados Unidos e os membros do Congresso, entre outras instâncias estatais.

O Distrito de Columbia, sede da capital dos Estados Unidos, encara em novembro a eleição de um novo prefeito e um dos candidatos é o independente David Catania, quem se declarou homossexual e foi durante 17 anos membro do conselho municipal.

Os organizadores esperam este ano a presença de cerca de 150 mil pessoas no trigésimo nono desfile anual do orgulho gay.

Em 2011, o Pentágono abandonou a política que impedia que os homossexuais declarassem abertamente sua condição sexual nas Forças Armadas.

Segundo o jornal, desde então os organizadores de desfiles em defesa dos direitos dos homossexuais “enfrentaram, de forma habitual, a rejeição dos oficiais militares locais” quando foram convidados a participar dos desfiles.

Sem mais artigos