(Da redação) – José Milton Campana (à direita, na foto), diretor-adjunto da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), afirmou que será "quase impossível" descobrir a autoria dos grampos ilegais. Campana foi afastado da Abin após a descoberta das escutas telefônicas ilegais contra políticos e integrantes do Supremo Tribunal Federal (STF).

O diretor-adjunto fez a afirmação em resposta aos questionamentos do deputado Rodrigo Rollemberg (PSB-DF), que perguntou como a Abin e órgãos do governo seriam capazes de descobrir a autoria de grampos ilegais. Campana reconheceu que essa prática está banalizada.

Campana ainda afirmou que achou "normal" seu afastamento e de toda a cúpula da Abin para o bom andamento das investigações. O diretor ainda disse que tinha conhecimento de que o agente Wilson Trezza, que assumiu a Abin, já havia trabalhado com o banqueiro Daniel Dantas.

Sem mais artigos