Atitude e irreverência são as marcas registradas do gênero que mudou a história da música: o Rock! E pensando no dia 13 de julho (último domingo) – data em que se comemora o Dia Mundial do Rock – não deixamos passar desapercebido a comemoração.  

Por isso, fizemos um especial focado na volta do Rockabilly, que é um dos inúmeros subgêneros do rock and roll. Para quem não sabe, o Rockabilly tornou-se conhecido durante os anos 1950, devido a artistas norte-americanos. 

Durante aquela década, o gênero foi impulsionado por batidas atrativas, guitarras e contrabaixos acústicos. Mas além de um estilo musical, é também uma moda e um comportamento que contagiou os jovens dos anos 50.

É desse estilo musical e dos grandes cantores do rock dessa época, como Chuck Berry, Elvis Presley e Johnny Cash, que a moda buscou sua inspiração e a transferiu para as roupas.

Para entender mais sobre essa paixão pelo Rockabilly, nós conversamos com uma galera que, de alguma maneira, preserva o real estilo da década de 1950.

A fashion stylist e colunista Brisa Issa, é um ótimo exemplo. “Eu comecei a curtir o estilo vintage (gosto mais dos anos 40) quando estava na faculdade e durante uma aula de história da arte fiquei sabendo o que eram as pin ups e seu universo”, conta. 

“Anos depois me dei conta que faltava eu saber dançar, então fiz curso (não tenho vergonha de dizer porque é bem difícil algum menino do rolê ter paciência de te ensinar a dançar). Depois disso comecei a ir em festas pra dançar”. 


 
“Posso dizer o que me atrai, porque pra cada um é por um motivo, é o ritimo da música, as letras e o sentimento que as pessoas tinham naquela época quando cantavam. Ouvir um som dos anos 30/40/50 e comecinho de 60 é como se eu tivesse lá vivendo aquela época.”

No quesito fashion, Brisa conta que gosta de compra roupas em brechos quando viaja ou por São Paulo.”O B Luxo sempre tem roupas da época que os donos garimpam em suas viagens. Vez ou outra acho algumas peças em lojas normais mesmo, porque né a gente não acha sempre roupas originais para usar no dia a dia. Tenho roupas da época mesmo que uso em ocasiões especiais, mas minha meta é ter mais para eu usar no dia a dia. Mas uma coisa é certa como você me vê no role é como você irá me ver indo comprar pão num dia normal”, brinca.

Para a estilista da Laundry, Patricia Grejanin, há alguns anos as pessoas tem cultuado o “vintage” de uma maneira geral, como forma de escapismo para esse mundo tecnológico em que vivemos.

“Eu adoro a década de 50 e para muitos o rock começou ali, as músicas e o lifestyle são geniais! É tudo muito colorido e feliz. Há alguns anos fiquei “meio obcecada” pelo assunto e isso influenciou muito no meu trabalho como estilista. Por isso, eu diria que sempre existe “um perfume” anos 50 nas minhas coleções mas nada literal.”, afirma.

Para entrar no estilo, Patricia diz que o melhor é garimpar em feirinhas como a do Bexiga de domingo, que segundo ela “é uma delícia”.

“Tem uma loja online chamada Loiseau Vintage que sempre tem bijoux e afins dessa década. Para escutar um boa música rockabilly tem um programa na rádio online Antena Zero, chamado “Goma na Juba” que é sensacional!”, completa Patricia. 

E aí, curtiu a ideia de voltar para os anos 50? Dá uma olhada na galeria acima no nosso guia de como se vestir como um verdadeiro Rockabilly! 

Dicas 
Lugares:
Wild wash
Shake Baby Bar
Cateto 

Lojas: 
Loja online L’oiseau Vintage
Afer 
B Luxo 

E Viva o Rock! 

Sem mais artigos