O filósofo foi mais brando em seu dia de posse. "Ele [presidente Lula] não leva em consideração, na sua administração, coisas desse tipo. Se for preciso colocar em algum cargo um homem que possa realizar trabalho do qual ele precise, ele coloca. Foi o que aconteceu", disse Unger.

Em seus três meses de atividades foram feitas visitas de entidades governamentais e civis e reunião com todos os Ministérios para que a secretaria estivesse “afinada” com os interesses gerais. Tudo debitado nos cofres públicos.

Leia mais:
Mudanças em Congonhas: Gol e TAM eliminam vôos

Sem mais artigos