De acordo com uma pesquisa feita pela Fundação Perseu Abramo, uma em cada quatro mulheres brasileiras sofre algum tipo de violência na hora de dar a luz. Com base nesses números e no sofrimento que cada uma dessas mães guarda dentro de si, a fotógrafa Carla Raiter decidiu criar o projeto 1:4: Retratos da Violência Obstétrica.

Ao lado da produtora Caroline Ferreira, ela tirou fotos que mostram a falta de respeito com a mãe na hora do atendimento; a proibição de um acompanhante, mesmo quando esse direito é garantido por lei; a falta de liberdade de escolher como e onde quer ter seu filho; entre outras histórias.

Os relatos foram tatuados temporariamente nos corpos das mães, sem mostrar seus rostos, o que garante que elas continuem anônimas.

Carla conta que elas receberam diversos e-mails com relatos de mulheres, e que as duas não estavam preparadas para tanta adesão.

Ela afirma que: “Muitas histórias tristes, de dar nó na garganta, mesmo, de nos fazerem chorar ao ler. E então a gente entendeu que aquilo era um caminho sem volta, e que o projeto tinha um tamanho muito maior do que podíamos ter imaginado”.

A intenção do projeto é fotografar mulheres de todo o Brasil e, no futuro, quem sabe, transformá-lo em uma exposição e em um livro.

Na galeria acima você pode ver mais algumas dessas tristes histórias retratadas.

Sem mais artigos