(EFE) – O filme "The Wrestler", do diretor nova-iorquino Darren Aronofsky e interpretado por Mickey Rourke, obteve hoje o Leão de Ouro de melhor filme da 65ª edição do Festival Internacional de Cinema de Veneza.

O júri, presidido pelo diretor alemão Wim Wenders, considerou o filme, que fala de um lutador em final de carreira, como o melhor dos 21 que competiram pelo prêmio.

Embora o Júri não tenha entregado o prêmio de melhor ator a Rourke, Wenders destacou que sua interpretação no filme "tocava o coração".

Para a perfeição do filme, foi fundamental que o atípico ator americano se dedicasse durante anos ao boxe profissional após seu lançamento à cena cinematográfica em "9 1/2 semanas de Amor" (1986), ao lado de Kim Basinger.

Rourke reconheceu que "infelizmente" tinha "muitos paralelismos" com a personagem, pois "há 15 anos havia atirado ao lixo" sua carreira.

"The Wrestler" mostra Randy Robinson, um lutador no final da carreira profissional, que começa a lutar em ringues de terceira categoria e a apresentar problemas de saúde devido aos anos em que praticou o esporte.

Randy começa então seu particular acerto de contas com a vida. Uma filha abandonada, interpretada por Evan Rachel Woods, e uma solidão na pobreza que ele tenta superar com o amor de uma stripper, interpretada por Marisa Tomei.

Definitivamente, o filme é um clássico, mas funciona e mostra que, após seu fracasso com "The Fountain", Aronofsky encontra outra vez o caminho e é capaz de prender o espectador.

Após saber que era o ganhador, Aronofsky agradeceu o prêmio e o dedicou a todos os lutadores, que "amassam o corpo e a alma".

Sem mais artigos