Chocolate

Na hora do consumo, o chocolate gera muitas dúvidas e às vezes arrependimento por aqueles que simplesmente devoram sem pensar na quantidade e na qualidade. A nutricionista Marina Citton Pasqua, do Hospital Professor Edmundo Vasconcelos, nos ajudou a desvendar os mitos e revelar as verdades acerca do chocolate

Mitos:
1- Chocolate pode provocar doenças cardiovasculares
Um estudo do Instituto de Pesquisa de Alimentos e Nutrição da Itália mostrou que o consumo de 100 gramas de chocolate meio amargo por dia foi capaz de aumentar 20% os antioxidantes em nosso organismo, em comparação com o chocolate ao leite. Os antioxidantes são os responsáveis pelo combate aos radicais livres, cuja concentração está diretamente ligada às doenças cardiovasculares e câncer.

2- Chocolate provoca espinhas!
Isto nunca foi comprovado cientificamente. O que determina, na verdade, o aparecimento da acne são fatores genéticos e desequilíbrios hormonais (que acontecem na puberdade, gravidez e menopausa). Em períodos de tensão e ansiedade, o adolescente devora bombons, mas se esquece das questões psicológicas ou do estresse que podem levar a uma alteração hormonal.

3- Diet é mais saudável que normal
Para pessoas não diabéticas, o chocolate diet não é o mais saudável, uma vez que sua composição é rica em gordura. Para o diabético, o ideal e o mais saudável é o alimento diet, visto que o organismo custa a utilizar a glicose ingerida.

4- Acaba com a TPM
O Chocolate não acaba com a tensão pré-menstrual, mas pode diminuí-la. A relação entre o consumo e alterações hormonais decorrentes da TPM é positiva e pode amenizar tensões nesse período.

5- Tem efeito antidepressivo
O chocolate parece ter efeito antidepressivo, mas ainda não pode ser comprovado. Acredita-se que a feniletilamina, substância presente no doce, se assemelha às anfetaminas, naturalmente liberadas no organismo em situações de grande emoção. Porém, a quantidade presente no chocolate é muito pequena, insuficiente para qualquer ação estimulante real.

Verdades:
1- Chocolate pode provocar alergias
Tanto em pessoas hipersensíveis ao próprio chocolate quanto àquelas que possuem alergia à proteína do leite de vaca. Neste caso, elas apresentam sintomas como eczemas (vermelhidão) na pele, diarréia, distensão abdominal e dores de cabeça.

2- O diet pode ser mais calórico que o normal
O chocolate diet não contém açúcar, mas possui mais gordura que o convencional. Cada grama de açúcar fornece 4 kcal enquanto o grama de gordura fornece 9 kcal, portanto o chocolate diet fornecerá muito mais calorias que o chocolate comum.

3- Comer chocolate altera humor
E pra melhor! Algumas pessoas, principalmente mulheres, têm uma tendência a comer muito chocolate depois de abalos emocionais. Isto pode ser explicado porque o chocolate estimula a produção da feniletilamina e serotonina no organismo, substâncias que causam sensação de “bem-estar”.

4- Cura a “ressaca”
A composição básica de um chocolate é pasta de cacau, manteiga de cacau, açúcar e leite. Destes, o açúcar e o leite são fontes de energia por conterem glicose e lactose respectivamente. Quando um indivíduo bebe demais e precisa ir ao hospital, o primeiro passo é tomar glicose. Então, para facilitar o processo, a sugestão é comer uma barrinha de chocolate. O efeito é melhor do que toda aquela confusão de dar banho gelado, dormir ou qualquer outra loucura que possa ter efeito contrário e piorar a situação.

5- Chocolate amargo reduz pressão arterial
No chocolate encontramos os flavonóides que são responsáveis pelos efeitos benéficos ao coração. Presentes no cacau, eles ajudam a prevenir formação de placas de gordura nas artérias (previnem infartos e AVC – Acidente Vascular Cerebral) e ajudam na diminuição da pressão arterial. O Chocolate meio amargo é o que apresenta maiores concentrações de flavonóides, pois possui mais cacau em sua composição, então podemos dizer que é o tipo mais indicado para o consumo.

Sem mais artigos