Um raro registro de índios da etnia pirahã feito no início deste ano, durante a cobertura dos conflitos no sul do Amazonas, rendeu ao fotógrafo rondoniense Gabriel Ivan a participação no Festival da Luz, um dos maiores eventos da fotografia internacional e que vai acontecer entre agosto e setembro de 2014 em Buenos Aires, na Argentina.

Gabriel, de 24 anos, foi um dos 82 fotógrafos escolhidos para participar do evento entre mais de 700 inscritos. Junto com o repórter Cley Medeiros, ele esteve na Terra Indígena Tenharim-Marmelos em janeiro deste ano.

Na época, moradores dos municípios de Humaitá e Apuí e do distrito Santo Antônio do Matupi acusavam os índios tenharim de envolvimento no desaparecimento e morte de três homens. Gabriel e Cley foram até a aldeia Marmelos e aproveitaram o momento para também fazer registro dos índios pirahãs, cujo território fica na divisa da reserva tenharim.

Os pirahãs têm pouco contato com não-indígenas e muitos deles não falam português. Sua população também é pequena. Segundo dados de 2010 da Fundação Nacional de Saúde (Funasa), o total é de 420 pessoas.

A língua falada pelos pirahãs é considerada singular, com a utilização de diversos recursos incomuns. Seu mais famoso estudioso é o norte-americano Daniel Everett, que viveu entre eles na década de 70, como missionário (sem nunca ter conseguido evangelizá-los). 

Sem mais artigos