Neste domingo (2), lutadores de luta-livre mexicanos e super heróis tomaram conta do Alto da Sé, em Olinda. Os primeiros fazem parte do bloco Mucha Lucha, que reúne “luchadores” em um ringue que diverte tanto quem está de dentro quanto quem apenas observa. “É criatividade pura, eles são hilários”, afirmou a recifense Milena Rubens. Arhur Vieira, que sai de Natal (RN) para curtir a folia olindense há dois anos, disse que sempre observa o grupo. “Essa turma é muito interessante”. 

Segundo Márcio Didier – ou “El Hombre de Hielo” -, um dos fundadores da brincadeira, o Mucha Lucha nasceu em 2008 como uma confraternização de amigos. “É uma gréia (gíria pernambucana para farra, tiração de onda) que vem se perpetuando”, contou. E este ano, as mulheres estrearam no quadrilátero improvisado. “Finalmente, achei ótimo”, comentou Rani Berthoulini, ou “La Perigosa”. 

Enquanto isso, vários heróis e personagens famosos deixaram os quadrinhos e filmes e tomaram as ladeiras da cidade Patrimônio Histórico com a troçaEnquanto Isso na Sala da Justiça. Até quem vem de fora entra na folia, como o francês Clement Roy, que incorporou um boxeador por um dia. “Aqui é muito animado, dá mesmo vontade de participar”, falou. O carioca José Antônio também aprovou a brincadeira. “Esse é o melhor bloco”, atestou. 

Os amigos cearenses Germano Coelho e Luiz Fernando Mezia resolveram improvisar e se fantasiar de “Idiota Jones” e fotógrafo à moda antiga. “O que vale é participar dessa festa”, declarou a dupla, presente na Sala da Justiça pelo terceiro ano. “Independente do vestuário, é muita diversão”.

Sem mais artigos