Com três prêmios, Pterodátilos foi o destaque da 23ª edição do Prêmio Shell de Teatro do Rio de Janeiro. A peça ganhou em todas as categorias em que concorreu: Marco Nanini e Mariana Lima por suas atuações e Daniela Thomas pelo cenário. No palco, Nanini relembrou que disputou a primeira edição do prêmio, em 1989, e comemorou finalmente ter recebido a homenagem. A festa reuniu importantes nomes da classe teatral no Jockey Club da Gávea, no Rio de Janeiro, na terça-feira (22).

A grande homenageada da noite, Nathália Timberg, reforçou a importância do teatro e da premiação para sua carreira. “Vida no teatro é um sonho vivido em estado de vigília. Hoje estou vivendo o sonho do reconhecimento pelos meus pares”, ressaltou. Aplaudida de pé por todos os convidados, a atriz dedicou o prêmio, emocionada, ao amigo e produtor Marcos Montenegro.

Jô Bilac levou a melhor na disputa como melhor autor por Savana Glacial. Na categoria direção, o prêmio foi para João Fonseca pelo trabalho em Maria do Caritó. Entre os figurinos, Marcelo Pies venceu com Hair. Já na iluminação, o júri elegeu Tomás Ribas por Rock Antygona. A singular linguagem corporal do espetáculo Fragmentos do Desejo rendeu a André Curti e Artur Ribeiro a premiação na categoria especial.

O clima de confraternização marcou a cerimônia. “É tão bom olhar vocês todos aqui e saber que faço parte disso”, afirmou João Fonseca. Os artistas também salientaram a importância do prêmio para a categoria. “Este é um momento especial do teatro, que merece de nós todo o respeito”, declarou Nathalia Timberg. Nanini também agradeceu à Shell por manter a premiação por tanto tempo. “O teatro precisa muito disso”, comentou.

Premiação

Criado em 1989, o Prêmio Shell de Teatro é ponto de referência nos palcos brasileiros. Os vencedores de cada categoria recebem escultura em metal do artista plástico Domenico Calabroni, com a forma de uma concha dourada, inspirada na logomarca da Shell, e uma premiação individual de R$ 8 mil (oito mil reais).

Júri

A tarefa de escolher os melhores entre tantos excelentes trabalhos desenvolvidos nos palcos do Rio de Janeiro coube ao júri formado por Fabiana Valor (atriz e bailarina), João Madeira (diretor do grupo AfroReggae), Jorginho de Carvalho (iluminador), Sergio Fonta (dramaturgo, diretor e ator) e Tania Brandão (pesquisadora e professora de História do Teatro Brasileiro).

Confira a lista completa dos vencedores do 23º Prêmio Shell de Teatro do Rio de Janeiro:

Música
Marcelo Alonso Neves por “As conchambranças de quaderna”

Iluminação
Tomás Ribas por “Rock Antygona”

Figurino
Marcelo Pies por “Hair”

Cenário
Daniela Thomas por “Pterodátilos”

Categoria especial
André Curti e Artur Ribeiro pela singular linguagem corporal aplicada no espetáculo “Fragmentos do Desejo”

Direção
João Fonseca por “Maria do Caritó”

Autor
Jô Bilac por “Savana glacial”

Ator
Marco Nanini por “Pterodátilos”

Atriz
Mariana Lima por “Pterodátilos”

Homenagem
Nathalia Timberg pela magnitude de sua carreira teatral, pródiga em desempenhos construídos com densidade, elegância e competência.

Sem mais artigos