Parece mentira, mas no país do Carnaval, enquanto milhões de brasileiros e outros tantos estrangeiros já esperam ansiosamente pela folia carioca, muitos moradores do Rio procuram a Região Serrana do estado para passar o feriado. Afinal, a cada ano, com a popularidade dos blocos de rua aumentando exponencialmente, a cidade tem atraído cada vez mais turistas – em 2014, são esperados 900 mil pessoas a mais na capital –, o que para muitos é motivo de dor de cabeça: o trânsito piora, os bares e restaurantes superlotam, os preços aumentam. E como a Serra fica logo ali, a pouco mais de uma hora de distância da capital, quem quer aproveitar a folga para descansar, e de quebra fugir do calor intenso, busca a região como alternativa. 

Nos últimos anos, a Associação das Indústrias de Hotéis do Rio de Janeiro tem registrado taxa de ocupação média de cerca de 65% nos hotéis de Petrópolis, e de 70% em Teresópolis e Nova Friburgo. Mas no Carnaval, a rede hoteleira desses municípios, formada por cerca de 270 hotéis e pousadas, chega a ter 90% de ocupação. Com tanta gente, pode ser que, nas cidades, o sossego não seja tão garantido, mas os mais aventureiros podem se embrenhar na mata e aproveitar a natureza da região para tomar banho de cachoeira e fazer caminhadas, num clima de verão mais ameno. Nos vales de Araras e das Videiras, por exemplo, há 22 quilômetros de trilhas, e no circuito Pedras do Taquaril é possível subir a Pedra do Elefante, de 1600 metros de altitude. No entanto, outros esportes radicais, como arvorismo, escalada e rapel são oferecidos por várias empresas locais.

A Serra abriga ainda diversas atividades culturais que não fazem feio às da capital. Além dos inúmeros monumentos históricos e centros culturais de Petrópolis abertos à visitação, a cidade vizinha, Teresópolis convida os turistas a conhecerem a sua feira de artesanato, todos os sábados, domingos e feriados na Praça Higino da Silveira. Desde 1983, ali se reúnem artistas populares e artesãos locais para vender produtos como objetos de cerâmica, tecidos, bijuterias, prata, palha, couro, entre outros artigos. Além do artesanato, na praça da alimentação da Feirarte o visitante pode provar a gastronomia variada da Serra, que inclui churrasco, yakissoba, pastéis, acarajé, salgados, etc.

Mas quem não resiste a uma folia carnavalesca, ainda que rápida e leve, pode assistir à programação de Teresópolis, que em 2014 torna a realizar seu desfile de escolas de samba, suspenso nos últimos três anos. A decisão foi tomada recentemente pela Liga das Escolas de Samba de Teresópolis (Lest), que liberou apenas quatro escolas para desfilar – Bambas da Serra, Mocidade Unidos do Rosário, Roseira Imperial e Unidos da Barra. Portanto, é Carnaval, mas pouco ou nada cansativo.

Sem mais artigos