A famosa escultura de porcelana do artista americano da Pantera Cor-de-Rosa, Jeff Koons, será vendida no dia 10 de maio em Nova York a partir de US$ 20 milhões, informou nesta sexta-feira (11) a casa de leilões Sotheby’s.

Essa escultura da “pop art” – criada em 1988 e que mostra o personagem de animação que se tornou famoso em 1963 com o filme A Pantera Cor-de-Rosa, de Blake Edwards, abraçado a uma jovem loira seminua – faz parte de uma venda de arte contemporânea que a casa britânica realizará nesse mesmo dia em Nova York.

“É um dos trabalhos mais importantes de Jeff Koons postos a venda”, informou a empresa mediante um comunicado, assinalando que a obra de vivas cores do americano é “uma das conquistas mais importantes de sua carreira”.

A obra faz parte de uma série chamada Banality que inclui outras esculturas como a chamada Michael Jackson and Bubbles, Bear and Policemen e Ushering, estas duas últimas pertencentes à coleção do museu de Versalhes, na França.

A Pantera Cor-de-Rosa de Koons forma também parte de uma edição na qual as outras peças são propriedade dos museus de Arte Moderna de Nova York (Moma) e de Arte Contemporânea de Chicago, assim como de um colecionador americano.

“Junto a (escultura) Balloon Dog and Bunny, esta é uma das obras-primas do século XX e uma peça símbolo da obra de Jeff Koons”, disse o responsável de Arte Contemporânea da Sotheby’s, Tobias Meyer.

Segundo o especialista a obra combina cânones históricos e o reflexo de uma época da recente arte contemporânea, e nela convergem “as características do artista, matéria e artifício, erotismo e ingenuidade, assim como cultura popular e elitismo”. Ressaltou que esta escultura “é o modelo de expressão de um dos artistas mais inovadores e influentes de nosso tempo”.

O personagem da animação da Pantera Cor-de-Rosa foi criado pelo ilustrador americano Hawley Pratt (1911-1999) e se tornou famoso após o filme homônimo que em 1963 foi protagonizado pelo ator Peter Sellers encarnando o inspetor Clouseau, além de uma série própria de televisão.

Sem mais artigos