Bichinhos Parmalat

Reprodução

Um espetáculo musical onde a trilha sonora é toda composta por… jingles! Gostou da ideia? Pois vai virar realidade: vem aí O Primeiro Musical a Gente Nunca Esquece, que estreia em SP no final de outubro.

O título da peça já dá a pista do universo que aborda: afinal, um dos comerciais brasileiros mais lembrados até hoje é o da Valisére, de 1986, que imortalizou o bordão “O primeiro sutiã a gente nunca esquece”.

Pois o espetáculo (com produção da Aventura Entretenimento) narra a história de uma família, e as peripécias familiares são costuradas por jingles de propagandas comerciais clássicas que marcaram a TV nos anos 60, 70, 80 e 90.

A montagem promete refrescar a memória do público com jingles marcantes. Então para entrar nesse jogo da memória, o Virgula decidiu listar os jingles mais inesquecíveis do Brasil. Confira a seguir e cante, se lembrar! (quem não lembrará?…)

Parmalat
Os irresistíveis filhotes bebedores de leite enterneceram os corações gerais nos anos 90:

Danoninho
Crianças fofas sempre foram um must na publicidade. Essa campanha do Danoninho durou anos:

Cremogema
Nos pré-históricos anos 70, crianças cantarolavam o hino da Cremogema (a gente não achou o comercial original, só a música. Quem souber o paradeiro desse comercial avisa a gente tá?)

Café Seleto
Mais crianças felizes: elas embelezavam a campanha do Café Seleto nos anos 70, cujo jingle durou até os 90:

Shampoo Johnsons Baby
Crianças? E que tal bem pequenas, para cativar ainda mais o coração do público? Elas eram as estrelas desse fofíssimo comercial:

Bala de Leite Kids
Guloseimas irresistíveis mereciam comerciais à altura. Este aqui, de 1978, marcou toda uma geração! Foi o auge do jingle brasileiro, com música composta pelo compositor Renato Teixeira:

Groselha Milani
Mais guloseimas. Aqui as crianças não aparecem, mas a propaganda é toda endereçada para elas, inclusive na voz que canta:

Natal existe
Mas talvez não exista nada tão emocionante em termos de publicidade com pequenos do que esta campanha que foi repetida durante anos, todo Natal. E atenção: o hoje famoso Luciano Amaral, de Castelo Rá Tim Bum, é o garoto no canto direito, percebam:

Brinquedos Estrela
Bugigangas infantis também sempre renderam grandes jingles, como este da Estrela, que também marcou época:

Lu Patinadora
Nesse sentido, vale lembrar esta pérola trash da infância 80, que rendeu bullyings contra os garotos gays nas escolas!

DDDrin
Falando em trash, o que era esta obra-prima com trilha disco music do final dos anos 70? A animação era de Ely Barbosa, autor dos personagens Fofura & Companhia. Deu tão certo que ficou no ar durante toda a década de 80:

Duchas Corona
Além das crianças, os jovens também eram alvo da publicidade. Esta campanha da Corona mostrava a galera pós-hippie dos 70 “curtindo a natureza”:

Pepsi
Na mesma linha, este comercial da Pepsi trouxe um dos jingles mais respeitados até hoje – foi composto por Sá, Rodrix e Guarabira, astros do rock rural dos 70:

US TOP
Seguindo essa trilha da juventude 70’s, a US Top veio com esse comercial:

Guaraná Antartica
Comidinhas em cena. A campanha do Guaraná Antartica nos anos 90 tinha pipoca, pizza, entre outros quitutes:

Cornetto
Sobremesa? O sorvete da Gelatto foi um hit nos 80 com este comercial cinematográfico:

Biscoitos São Luís
Dá uma olhada neste comercial paleolítico dos anos 60… saudades desses biscoitos hein?

McDonalds
Guloseima maior na vida urbana: o Big Mac. Nos anos 80, o jingle da marca decidiu popularizar para sempre a receita do sanduíche. Deu certo, alguém duvida?

Doriana
E a família, vai bem? Comerciais miram nas donas de casa, e este jingle dava uma força às mães sempre dedicadas. Feministas, fujam!

Casas Pernambucanas
Falando em mães, elas protegiam a casa contra o frio – o vilão deste histórico comercial dos anos 60:

Cobertores Parahyba
Outro clássico dos 60’s: animação típica da época, e um jingle melancólico que dá vontade de chorar!…

Honda
Máquinas possantes? A Honda marcou os anos 90 com este hilário jingle, ajudado pela interpretação do ator:

Vasp
Do chão para o ar – a Vasp também marcou gerações com seus jingles:

Varig
Mas a Varig superava, com comerciais antológicos e um jingle que atravessou décadas – até Xuxa gravou um comercial cantando ele, nos anos 90:

Bradesco
Para encerrar, um “não-jingle”: Sonho de Ícaro, hit do cantor Biafra nos anos 80, foi usado neste comercial recente, para “afugentar” o ladrão de carro. E o próprio Biafra canta a música! Francamente, ele não merecia isso!

Sem mais artigos