Adebayor culpa mãe por má fase, só que o buraco é mais profundo

Adebayor culpa mãe por má fase, só que o buraco é mais profundo

De referência no ataque do Arsenal em 2008 a piada da atual edição do Campeonato Inglês por conta do momento vivido com a camisa do Tottenham, o atacante Emmanuel Adebayor já encontrou a culpa para os baixíssimos números de dois gols em 12 jogos na atual temporada: sua mãe. Isso mesmo, o jogador brigou feio com a própria mãe e garantiu que ela está fazendo bruxaria para acabou com sua carreira.

A encrenca entre os dois foi tão grande que o togolês chegou a expulsar a mãe da casa da família. Quem confirmou o bololô foi Maggie, irmã de Adebayor, em uma entrevista à rádio Peace FM, de Gana.

“Ela agora precisa vender bugigangas na fronteira de Gana com Togo para sobreviver. Nossa mãe não quer o dinheiro dele. Ela quer apenas vê-lo porque o ama muito”, disse.

Na versão do atacante, a história é outra. Segundo ele, a mãe saiu de casa por vontade própria e, há um ano, está usando uma espécie de bruxaria, chamada Juju, para arruinar a carreira dele. “Como posso falar com a minha mãe, se ela e minhas irmãs vêm usando ‘juju’ contra mim?”, disse Adebayor.

Apesar das reclamações do jogador e do conflito entre as declarações, levantamos algumas provas que mostram que a queda livre da carreira do atacante de 30 anos de idade não é culpa da sua mãe, ou pelo menos parte dela. Troca constante de clubes:  Adebayor chegou ao Arsenal em 2006, depois de se destacar no Monaco, na França. Após uma temporada regular em Londres, o togolês se destacou e fez mais de 100 jogos pelos Gunners. O sucesso foi grande e o atacante acabou negociado com o Manchester City, para a tristeza e indignação dos torcedores do Arsenal.

Adebayor culpa mãe por má fase, só que o buraco é mais profundo

Adebayor culpa mãe por má fase, só que o buraco é mais profundo

No City, contudo, Adebayor não repetiu o mesmo sucesso do Arsenal e começou sua peregrinação no futebol. Empréstimos ao Real Madrid e ao Tottenham marcaram o vai e vem o togolês, que desde então não repetiu o mesmo futebol que o consagrou na Inglaterra, em 2008, quando marcou 24 gols em 36 jogos. Temperamento polêmico: Engajado em movimentos políticos, Adebayor não consegue ter o mesmo comportamento quando o assunto é futebol e rivalidade. Em 2009, quando defendia as cores do Manchester City, o jogador foi provocado pelos torcedores do Arsenal e deu a resposta com um gol e uma comemoração pra lá de polêmica. O lance (assista abaixo) ficou marcado para a história do Campeonato Inglês. A atitude foi criticada até mesmo pelo City que multou  o jogador em 25 mil libras (27.500 euros) por provocar a torcida do Arsenal. Sua forma de agir fora de campa, às vezes, também extrapola o limite do bom senso. Que garante é a própria mãe do jogador do Tottenham. Saudades do Arsenal:  Ele pode até não admitir, mas é inegável que a melhor fase de sua carreira foi jogando pelo Arsenal e que, se pudesse voltar no tempo, ele não pensaria duas vezes para reeditar a dupla de sucesso com Thiery Henry nos Gunners.

 Pra não parecer pegação no pé do atacante togolês, relembramos abaixo alguns dos melhores momento de Adebayor pelo Tottenham em um único vídeo

Sem mais artigos