<br>
O atacante Afonso não está nada bem com a sua equipe, o Heerenveen, da Holanda. O jogador ganhou oprêmio de melhor jogador da temporada no país, mas se recusou a ir à festa recebê-lo, por não estar em "clima de festa".

O motivo da chateação de Afonso é o fato de o Heerenveen não ter negociado o brasileiro com algum clube europeu; a janela para transferências se encerrou no dia 31 de agosto.

O também holandês AZ seria o destino preferido de Afonso. "Naquele dia [31 de agosto], o SC Heerenveen teve a oportunidade de me negociar por um preço superior a quatro vezes o que pagou por mim há um ano. Eu não preciso repetir aqui o quanto esta transferência significaria para mim e minha família", diz o jogador em declaração publicada em seu site oficial.

O assessor de imprensa do brasileiro, Wagner Augusto Álvares de Freitas, chamou de ‘escravidão’ a situação do atacante na Holanda. "Muito se fala da existência de trabalho escravo no Brasil. (…) É o caso verificado em Heerenveen, cidade do clube homônimo, que preferiu manter o atacante da Seleção Brasileira Afonso Alves atado aos grilhões de um contrato defasado", afirma, em tom rebuscado, o assessor de Afonso, que foi convocado para os amistosos da seleção brasileira contra EUA e México.

<b>Veja também:</b>
<a target=_blank href=http://www.virgula.com.br/esporte/novo/nota.php?ID=20833>Ronaldinho Gaúcho conta quem são os melhores do mundo para ele!</a>

Sem mais artigos