Nesta sexta-feira, Argentina e Portugal fazem o jogo de abertura da VI Copa Latina de Beach Soccer, na arena montada na Praia de Camburi, em Vitória, no Espírito Santo. A partida será marcada por alguns contrastes entre as equipes. Enquanto os argentinos passam por uma etapa de reformulação de seu elenco e não escondem seu esquema de jogo, os portugueses mantiveram a base de últimas competições, com vários atletas experientes, embora o técnico Zé Miguel esteja fazendo mistério em relação à escalação do time. “Mas temos uma equipe com experiência, que pode superar qualquer adversidade”, afirmou Zé Miguel. “Uma vitória na estréia da competição é importante para ganharmos confiança até a partida contra o Brasil”, completou o treinador.

O principal atleta português é Madjer, de 26 anos. Bastante habilidoso e dono de um forte chute de pé esquerdo, Madjer é o maior artilheiro da história da Copa Latina, com 26 gols. Para anular Madjer e o bom entrosamento de Portugal, a Argentina aposta em uma marcação forte, sem dar espaços ao adversário e com muita garra em campo. “Temos consciência da força dos portugueses, mas jogando com seriedade e aplicação tática, podemos surpreender”, promete o técnico Francisco Petrasso. “Somos uma equipe em formação, que evolui a cada jogo e que deseja deixar a melhor imagem do beach soccer argentino no Brasil”, declarou o treinador. Para a estréia contra Portugal, a Argentina vai entrar em campo com o goleiro Forti, Paradisi, Lopez, Ezequiel Hilaire e o capitão Andrade, o principal atleta da equipe.

Portugal, por outro lado, faz mistério. Zé Miguel só vai anunciar seus titulares momentos antes do jogo. “Temos um elenco forte, com jogadores que podem definir uma partida”, explica o treinador, que fez vários testes no treinamento desta quinta-feira, em Vitória.

Sem mais artigos