Para enfrentar o Japão no primeiro jogo das Olimpíadas, o técnico da Seleção Brasileira, Antônio Carlos Barbosa, quer defender melhor, mas sem perder a qualidade do ataque. Para isso, ele resolveu escalar a ala-pivô Leila, de 1,87m, no lugar da pivô Cíntia Tuiú, de 1,95m. As demais titulares são Helen, Iziane, Janeth e Alessandra. A partida acontece neste sábado (14/08), às 16h45 (10h45 pelo horário de Brasília).

Segundo Barbosa, é preciso jogar de acordo com o adversário. "No basquete, não há apenas cinco titulares. Fiz a opção de começar com a Leila porque precisamos ter mais velocidade na marcação. Mas nem por isso vamos perder a vantagem que temos na estatura, principalmente no ataque", explicou.

Leila, que foi campeã mundial em 94 e medalha de prata em Atlanta-96, está confiante em seu retorno olímpico – a jogadora não pôde ir a Sydney-2000 devido a uma lesão na cartilagem do joelho direito nos Jogos Pan-americanos de Winnipeg-99. "Eu fiquei muito tempo parada por causa do problema médico. Depois, tive o meu filho, Davi, que fez dois anos há dois dias (na quarta-feira, dia 11). Mas o Barbosa me disse que me queria de volta para os Jogos Olímpicos, e aqui estou em Atenas para jogar", contou.

Confiança também é o que não falta para Janeth, que recuperou-se de uma lesão muscular nas costas e está confirmada por Barbosa para a estréia contra o Japão. "Não estou sentindo nada e posso jogar com tranqüilidade", comentou.

Depois de enfrentar o Japão, o Brasil jogará contra a Rússia (dia 18), a Nigéria (20) e a Austrália (22).

<a href="http://www.virgula.com.br/esporte/phps/interna.php?id=4249"target="_self"><b><font color="#FFFFFF">Guinness: Curiosidades na água</font></b></a>

<a href="http://www.virgula.com.br/esporte/phps/interna.php?id=4250"target="_self"><b><font color="#FFFFFF">Guinness: Os recordes esportivos do Brasil</font></b></a>

<a href="http://www.virgula.com.br/esporte/phps/interna.php?id=4251"target="_self"><b><font color="#FFFFFF">Guinness: As medalhas olímpicas</font></b></a>

Sem mais artigos