Fundado em 2004 às sombras dos sucessos de São Caetano, vice da Libertadores e Brasileiro, e Santo André, que acabara de conquistar a Copa do Brasil em pleno Maracanã, o São Bernardo Futebol Clube goza atualmente de uma posição mais confortável e consolidada que os rivais da região do ABC. Em entrevista ao Virgula Esporte, o presidente Luiz Fernando Teixeira falou sobre o bom momento vivido pelo time no Campeonato Paulista, além dos planejamentos futuros e do grande objetivo do Bernô para 2014: disputar a Série D.

Único dos três clubes do ABC paulista a funcionar nos dias de hoje aos moldes clube-empresa, o São Bernardo vive uma situação financeira melhor que a dos rivais, além de estar na primeira divisão estadual, enquanto Santo André e São Caetano sofrem para avançar na Série A2. Mesmo no considerado Grupo da Morte, ao lado de Santos, Ponte Preta e Portuguesa, o Tigre vive um bom momento e ocupa a segunda posição da chave, o que surpreendeu o dirigente.

“Te confesso que fiquei surpreso com esse início do São Bernardo no Paulistão. Não esperava aquela vitória contra o Corinthians (1 a 0 no Pacaembu). Os desempenhos contra o Botafogo e o XV foram bons e já eram esperadom em nosso planejamento”, disse o dirigente, que explicou como fez para montar o elenco de uma das sensações desse início de torneio. “Montamos uma equipe com novos valores e aproveitamos aqueles que se destacaram no Paulistão e na Copa Paulista do ano passado, com excessão feita a Fernando Baiano, pois queriamos um time mais coletivo e não um que jogasse para um atleta só. O Fernando foi bem no ano passado, mas mudamos nossa filosofia e optamos pelas modificações”, completou.

Com três vitórias em quatro jogos, o time dirigido por Edson Boaro tem a quinta melhor campanha entre os 20 times que disputam o Paulistão. Apesar do desempenho superior ao de times como Corinthians, Ponte Preta e Portuguesa, Luiz Fernando Teixeira sabe que o estadual é complicado e foca como objetivo passar para segunda fase e garantir uma vaga na Série D do Campeonato Brasileiro deste ano.

“Nosso projeto para 2014 é um calendário maior e não só um ano com quatro meses. Por isso, nosso foco é a Série D. Entramos no Campeonato Paulista com o objetivo de avançar para a segunda fase e, consequentemente, garantir a vaga na quarta divisão nacional. Assim, teremos mais artifícios para contratar jogadores”, afirmou.

Almejando se consolidar entre as grandes forças do futebol nacional, o presidente do São Bernardo foca a Série D para repetir a experiência inicial do Paulistão, só que na Série B do Brasileiro.

“Temos um pensamento a curto e médio prazo. Queremos, por meio da Série D, galgar a vaga na Série B e ver como é realmente a realidade dessa competição, para adquirir uma experiência. Fizemos isso no Paulistão em nosso primeiro ano na elite. Caímos logo na estreia, mas depois que voltamos, aprendemos e agora sabemos como nos manter. A ideia, inicialmente, é consolidar-se no cenário nacional”, explicou o dirigente.

Presidindo o São Bernardo há quase seis anos, Teixeira explicou a diferença de um clube-empresa para uma agremiação normal, além de explicar como funciona o regime presidencial do Bernô.

“Após a Lei Pelé, após os clubes colecionarem ‘canos’ no fisco, todo time fundado a partir de 2000 tem um proprietário, um dono e deverá ser tocado como empresa. No São Bernardo não é diferente. O clube tem um dono. Na verdade são três empresário, que são sócios e comandando tudo. Fui escolhido por eles, em um acordo de acionistas, sem um prazo de término, como o presidente em 2009, e desde então sigo à frente do projeto”, disse.

Ciente que comanda um clube com menos de 10 anos de existência, o presidente do Bernô sabe das limitações existentes, mas faz questão de exaltar a atual estrutura do clube.

“Antes de ser presidente do São Bernardo, sou empresário, um gestor. Tratamos o clube na risca, como ele é, um clube-empresa. Temos que tocar para ser um projeto sério. Somos pequenos, sabemos disso. Porém, procuramos a evolução. Temos hoje uma estrutura e aparelhos que poucos times grandes possuem. Tanto é verdade que, hoje, nove anos depois de nossa fundação, somos o único do ABC na elite paulista”

Lula e o amor pelo São Bernardo

Corintiano roxo, o ex-presidente Lula fez sua história política na cidade de São Bernardo e desde a criação do clube do ABC fez questão de colocá-lo como sua segunda paixão. Sobre Luiz Inácio da Silva, Teixeira revelou alguns detalhes da relação entre ele e o Bernô.

 “Todo mundo sabe que o time do coração do presidente Lula é o Corinthians. Ele adotou o São Bernardo Futebol Clube pela história dele na região, é o segundo time dele agora. Ele sempre esteve presente nos momentos mais importantes. Como nos jogos contra o Corinthians e também contra o Santos, além da decisão da Série A2, quando fomos campeões. Fora isso, ele usa nossa estrutura sempre que pode pra fazer sua recuperação física e vem no clube me cobrar quando o time não está bem (risos)”, lembrou.

Projeto Social

O foco do São Bernardo é e sempre foi o futebol profissional. Porém, além do forte trabalho nas categorias de base (este ano o time chegou a segunda fase da Copa SP), existe um projeto social bancado pelo clube para as crianças carentes da cidade.

“Além do futebol profissional, temos um projeto social muito forte no ABC. Respiramos futebol, o que é algo muito presente aqui na cidade. São 6.500 crianças que estão no programa e saíram das ruas. Existem alguns garotos bons de bola, mas nosso foco é formar um cidadão”, explicou Luiz Fernando Teixeira.

Sem mais artigos