Com as obras em dia para a Copa do Mundo de 2014, Belo Horizonte sonha receber o jogo de abertura do torneio.

Segundo o Governo de Minas Gerais, o cumprimento do calendário proposto no dia 1º de junho de 2009 faz da capital mineira uma forte candidata para receber a partida inaugural.

“Desde 2007, quando o Brasil foi escolhido como sede do Mundial, começamos a trabalhar em um planejamento estratégico apresentado em 2009, um dia após a confirmação de Belo Horizonte como uma das sedes”, declarou à Agência Efe o secretário estadual extraordinário para a Copa do Mundo, Sérgio Barroso.

Para ele, o fato de ter as obras “cem por cento em dia”, com 37% da reforma concluída, torna o Mineirão um forte candidato para a abertura do torneio, cogitada inicialmente para São Paulo.

“Sabíamos, e não havia discussão, que a final será no Maracanã e a abertura em São Paulo, que é a capital econômica do país, mas também sabemos que temos todas as condições em Belo Horizonte para receber qualquer uma das fases do Mundial, inclusive a primeira partida”, considerou Barroso.

O panorama da capital de Minas Gerais contrasta com o de outras cidades-sedes que têm um considerável atraso nas obras de estádios, aeroportos e vias de acesso, segundo um relatório divulgado nesta quarta-feira pelo Governo.

Os problemas para a reforma do estádio do Morumbi, inicialmente escolhido para a abertura da Copa, obrigaram São Paulo a propor a construção de um novo estádio à Fifa, o Itaquerão, do Corinthians. Mesmo assim, o atraso no início das obras deixou a cidade de fora da Copa das Confederações, que acontecerá em 2013.

Com os problemas em São Paulo, cidades como Brasília e Belo Horizonte, em dia com as obras, começaram a pressão política diante da Fifa para serem escolhidas como sede da partida de abertura.

A demora nas obras do Maracanã, em função de uma greve de operários, também alterou para Belo Horizonte a cerimônia da contagem regressiva dos mil dias para o início do torneio, que inicialmente estava previsto para acontecer no Rio de Janeiro.

Nesta sexta-feira, a presidente Dilma Rousseff, e provavelmente o embaixador da Copa do Mundo, Pelé, ambos nascidos em Minas Gerais, inaugurarão na Praça da Liberdade, em Belo Horizonte, o relógio que marca a contagem regressiva até o dia 12 de junho de 2014, quando começará a competição.

Porém, nesta quinta-feira, uma nova greve foi anunciada entre os operários que trabalham nas obras do estádio mineiro. O objetivo dos trabalhadores é cobrar pessoalmente da presidente melhores condições de trabalho.

Além das obras do Mineirão, o secretário destacou os outros projetos da capital mineira, que inclui as reformas dos aeroportos de Confins e da Pampulha, do estádio Independência, do ginásio poliesportivo Mineirinho e do sistema público de transporte.

“Dos aeroportos nas sedes, o de Confins é o único com condições para ser expandido”, garantiu Barroso, que prevê que a ampliação do principal terminal aéreo da cidade esteja terminada em fevereiro de 2014.

Após a reforma, prevista para terminar dia 21 de dezembro de 2012, o Mineirão contará com uma capacidade para 65 mil torcedores, além de 90 palcos e uma placa geradora de energia solar, que será captada através do teto do próprio estádio.

Na parte exterior, o local, sede habitual de Cruzeiro e Atlético-MG, irá dispor de um espaço aberto para outras 65.000 pessoas.

A gastronomia, a variedade de seus circuitos turísticos, a amabilidade dos mineiros e o ambiente nas ruas, são exemplos de alguns dos atrativos que jogam a favor de Belo Horizonte em seu sonho de abrir a Copa do Mundo de 2014.

BH cumpre cronograma de obras e sonha com abertura da Copa de 2014

Sem mais artigos