Revolta. Essa é com certeza o sentimento de todo torcedor brasileiro que assistiu ao jogo da seleção ontem em Curitiba contra o Uruguai. A partida era válida pela quarta rodada das eliminatórias para a Copa do mundo de 2006 na Alemanha e terminou com um empate em 3 a 3

Só o fato de empatar em casa com o Uruguai já é decepcionante, não menosprezando o adversário, mas sim pela grandeza do Brasil. O pior é que a seleção de Parreira fez um ótimo primeiro tempo, saindo de campo com 2 a 0, gol de Kaká e Ronaldo, além de milhares de chances perdidas pelos mesmos Ronaldo, Kaká, Rivaldo e companhia. O desastre veio com a segunda etapa, um time totalmente diferente e apático. Será a dupla de zaga Lúcio e Roque Júnior é a melhor para a seleção? Os dois estavam perdidos em campo e tiveram atuações medíocres. Não deu outra, aos 12 minutos Forlán fez o primeiro do Uruguai, depois o mesmo Forlán marcou aos 32 e depois Gilberto Silva para o Brasil!? Que nada, o meia marcou um gol contra de cabeça, um golaço!

Um verdadeiro vexame, se não fosse Ronaldo voltar a fazer gol e empatar a partida aos 41. O "gostinho de derrota" ficou e o peso sobre as costa de Parreira vão crescendo, assim como aconteceu há dez anos atrás nas eliminatórias para a Copa de 94.

Com esse resultado e o empate da Argentina com a Colômbia, o Brasil cai para a terceira colocação. Em primeiro está o Paraguai que bateu o Chile por 1 a 0. A seleção volta a jogar só em abril contra o próprio Paraguai, fora de casa.

Sem mais artigos