O jogo que acontece hoje, dia 18 de agosto, entre o Brasil e Haiti, traz um pouco mais de alegria para a sofrida população haitiana. O Haiti é o país mais pobre da América, com 80% da sua população vivendo abaixo da linha de pobreza. A CARE, uma organização humanitária que atua há 58 anos em programas de desenvolvimento social sustentável e em emergências em 72 países, trabalha no Haiti há quase 50 anos desenvolvendo diversas ações para o combate à pobreza.

Diante da gravidade da situação, a CARE iniciou o Projeto HIV/AIDS no Haiti, em dezembro de 1999.
O projeto contra a AIDS envolve a viabilização de testes, treinamentos e equipamentos em hospitais públicos, e mobilização e capacitação de jornalistas. “Em menos de três anos, a população tem demonstrado que é possível quebrar o estigma da AIDS”, explica Pascale Crussard, diretor do projeto HIV/AIDS da CARE no Haiti.

Outro bom exemplo no amistoso pela paz, como tem sido chamado o jogo entre Haiti e Brasil, é a iniciativa da Unicef. Durante a partida 300 crianças órfãs da Aids (há 300 mil ao todo no país) foram convidadas para assistir o amistoso e estarão nas tribunas.

Sem mais artigos