<br>
A batalha entre o gerente de futebol do Palmeiras, Toninho Cecílio, e o superintendente de futebol do São Paulo, Marco Aurélio Cunha, está irritando o técnico Vanderlei Luxemburgo.

O cartola tricolor afirmou que o diretor palmeirense poderia perder o emprego para algum ‘carioca’, em alusão ao amigo de Luxa, o ex-supervisor do Santos, Luiz Henrique de Menezes.

Luxemburgo entendeu a provocação de Marco Aurélio Cunha e saiu em defesa de Toninho Cecílio.

"Ninguém vai contratar nenhum carioca aqui no Palmeiras. O Marco Aurélio precisa lembrar que esse carioca aqui (Luxemburgo) foi quem o contratou, quando ele estava desempregado, para trabalhar no Bragantino. Depois o levou para o Guarani. Também foi esse carioca que pediu para a Parmalat contratá-lo quando veio pela primeira vez ao Palmeiras. E depois o levou para o Santos. Ele precisa aprender a respeitar o ser humano e parar de falar um monte de bobagem do Toninho Cecílio", disse.

Na opinião do treinador do Palmeiras, as provocações de Marco Aurélio são totalmente dispensavéis.

"É muito insignificante o que o Marco Aurélio Cunha está tentando fazer. O Toninho Cecílio é um excelente profissional. Muito bem preparado. Uma surpresa agradável. É desnecessário toda essa provocação", afirmou.

O comandante alviverde aproveitou para ironizar a "manchete" de Adriano, que causou o primeiro gol são paulino.

"Estou preocupado com a jogada aérea do São Paulo e venho trabalhando com os meus jogadores para evitá-la. Afinal, eu tenho três preocupações no cabeceio. O Adriano e o Alex Silva, que são altos, e a manchete são-paulina. Precisamos ficar atento com as mãos dos adversários", encerrou.

<b>LEIA TAMBÉM:</b>
<a target=_blank href=http://virgula.terra.com.br/esporte/mural/index.php?id=1459>Ainda há espaço para os bad-boys no futebol?</a>

Sem mais artigos