O ex-jogador Kenny
Sansom
revelou que, por problemas com bebida, perdeu sua casa e atualmente não
tem onde morar. Ídolo no Arsenal, foi capitão da seleção inglesa na Copa do
Mundo de 1986 e é um dos jogadores que mais vestiram a braçadeira de capitão pela Inglaterra. A notícia é do site do jornal inglês The Sun desta quinta-feira
(01).

Sansom, de 54 anos,
usava um banco de praça para dormir à noite e, apesar de ter morado um tempo
com sua filha mais velha, saiu de lá na última terça-feira (30).

“Tenho vivido na rua há
10 dias. Isso porque não tenho dinheiro. Sou um bêbado. Não tenho me sentido
muito bem e ainda sou um apostador. Tenho vivido nas ruas”, relatou.

Ele, que jogava na lateral-esquerda,
só tem menos partidas como um defensor capitão do English Team que Ashley Cole, do Chelsea, que atualmente ocupa a mesma posição.

Segundo a publicação,
Sansom toma sete garrafas de vinho por dia e, que quando respodeu à reportagem,
só tinha no bolso um cartão telefônico, um de transporte e £ 20 em dinheiro
(cerca de R$ 70).

Em sua época de
profissional, ganhava bem e viveu em uma mansão de £ 1 milhão, além de jogar as
Copas de 1982 e 1986, além dos campeonatos europeus de 1980 e 1988 por seu país, e atuar no time dos mais vencedores do
Inglaterra.

Após o divórcio com sua
então esposa Elaine, vendeu a maioria das camisas da seleção que guardava, por
causa do alcoolismo.

Ao saber destes fatos,
George Graham, antigo treinador dos Gunners, se mostrou surpreso.

“Era um jogador
fantástico sob a minha tutela quando eu era manager do Arsenal e ele tem mais
de 80 aparições na seleção. Ele era um profissional-modelo e é muito, muito
triste ouvir estas notícias. Estou muito impressionado. Não ouço falar dele há
bastante tempo. Penso que a última vez que o vi foi pela televisão, trabalhando”,
disse o ex-treinador, que aconselha Sansom a procurar ajuda com a Associação
dos Jogadores de Futebol Profissionais da Inglaterra.

Como lateral, foi um dos
maiores na posição da história do futebol inglês, com 86 jogos pela seleção.
Suas principais características eram a roubada de bola, boa ajuda ofensiva e
cruzamentos certeiros. Apareceu no Crystal Palace e teve o passe comprado pelos
Gunners em 1980 por £ 1 milhão, tendo ficado por lá até 1988 com 394 jogos. Encerrou
a carreira em 1995, no Watford.

Na Copa de 1986, jogou a
memorável partida em que Maradona marcou o gol com a famosa ‘Mano de Diós’, que
acabou em 2 a 1 para a Argentina pelas quartas de final.

Sem mais artigos