<br>O meia Carlos Alberto, afastado do elenco do São Paulo pelo presidente Juvenal Juvêncio, concedeu uma entrevista coletiva na tarde desta quinta-feira, e não quis entrar em detalhes sobre o motivo de seu afastamento. Visivelmente chateado, o jogador não considera tão grave suas atitudes, mas diz ter acatado a decisão da diretoria tricolor e afirma que vai torcer pela equipe nas fases finais do Paulistão e da Libertadores.

Afastado no mesmo período que o volante Fábio Santos (que já foi reintegrado ao grupo), devido a um suposto entrevero entre os dois, Carlos Alberto acredita que seus atos não condizem com a punição severa que recebeu. "Gostaria de reiterar que não briguei com o Fábio e, inclusive, ele é dos caras que mais gosto no São Paulo. A decisão sobre meu afastamento será acatada, mas não a considero justa", comentou.

Sobre sua passagem pelo Tricolor, o ”bad-boy” fez um balanço positivo, e disse não se arrepender de ter ido para o Morumbi. "Aqui encontrei uma ótima estrutura e controlei meu problema da tireóide, só tenho a agradecer".

Questionado sobre sua fama de ser ”baladeiro”, o jogador foi sincero até demais, e usou o baixinho Romário como exemplo. "Gosto sim, gosto muito. Na hora certa, não faz mal a ninguém. Um dos melhores do mundo, que parou agora, diz que se você corresponder dentro de campo, não tem problema", afirmou.

O problema é que Carlos Alberto não sabe a hora certa e muito menos corresponde dentro de campo…

<b>LEIA TAMBÉM:</b>
<a target=_blank href=http://www.virgula.com.br/esporte/novo/nota.php?ID=24794>São Paulo admite que fracassou com Carlos Alberto</a>

Sem mais artigos