Contando com o apoio de ninguém menos do que Pelé, o francês Jérôme Champagne, ex-vice-secretário-geral da Fifa, apresentou nesta segunda-feira (20) em Londres sua candidatura à presidência da principal entidade do futebol mundial.

Em entrevista coletiva, Champagne, de 55 anos, reconheceu que se o atual presidente da Fifa, Joseph Blatter, com quem trabalhou lado a lado durante três anos, até 2010, concorrer a seu quinto mandato, será difícil vencê-lo porque é uma “pessoa de relevância”.

O suíço, de 77 anos e que ocupa a presidência da entidade desde 1998, ainda não anunciou se voltará a disputar a eleição para o posto nas eleições que acontecerão em Zurique em junho de 2015. Além dele, outro possível candidato é o ex-jogador francês Michel Platini, presidente da Uefa.

Jérôme Champagne, que trabalhou 11 anos na Fifa, disse hoje apostar em uma entidade “diferente, mais democrática, mais respeitada, que se comporte melhor e que faça mais”.

Uma das medidas que propôs é a inclusão de “cartões laranja” no futebol para penalizar os jogadores, tirando-os de campo por alguns minutos.

Durante sua apresentação, ele mostrou um vídeo no qual Pelé manifestou apoio a um homem “no qual todos podem confiar”.

“Conheço sua visão do futebol e sobre o futuro do jogo, e por isso confio nele”, disse o Rei do Futebol.

Champagne garantiu que não foi “manipulado” por Blatter para concorrer à eleição.

O francês deixou a Fifa em 2010 para trabalhar como consultor internacional de futebol em regiões como Kosovo, Palestina e Israel, e publicou no ano passado um documento de 20.000 palavras com sua visão para o futuro da Fifa, incluindo uma mudança no conselho diretor e medidas para evitar conflitos de interesses.

Sem mais artigos