<br>
Dois depois de sofrer duras críticas do técnico Vanderlei Luxemburgo, o presidente da Comissão de Arbitragem da Federação Paulista de Futebol resolveu falar e negou perseguição ao treinador palmeirense. "Se tivesse que tomar uma atitude, já teria tomado. Não tem perseguição a A, B ou C", afirmou.

Luxemburgo convocou uma coletiva de imprensa na noite de ontem, segunda-feira, para falar sobre a polêmica. Chegou a dizer que temia servir de "cobaia", para que outros treinadores de grandes clubes, como Mano Menezes no Corinthians e Muricy Ramalho no São Paulo, não reclamassem mais dos árbitros. "Estou há dois anos e meio ouvindo reclamações de técnicos. Quantas vezes o Leão e o Luxemburgo reclamaram dos meus árbitros?", questionou Marinho.

Sobre as críticas do treinador, Marinho explicou porque acha que Luxa deve ser julgado. "Existem as críticas construtivas, que a gente digere bem, e destrutivas. E as acusações que ele [Luxemburgo] está fazendo são muito fortes", ponderou.

Ao final da partida contra o Rio Preto – empate com o Verdão em 1 a 1 – o treinador disse que Marinho deveria se aposentar. "Não vejo o Luxemburgo como um inimigo, mas não vou me aposentar, sou muito novo ainda", disse, em tom de brincadeira.

<b>ENTENDA O CASO:</b>
<a target=_blank href=http://www.virgula.com.br/esporte/novo/nota.php?ID=23691>Luxa pode ficar até 1 ano suspenso</a>

<a target=_blank href=http://www.virgula.com.br/esporte/novo/nota.php?ID=23849>Luxa pede para não ser "cobaia"</a>

Sem mais artigos