Em mais um capítulo da troca de farpas entre Cristiano Ronaldo e Joseph Blatter – mais do lado do português -, agora foi a vez do jogador desviar do elogio feito pelo presidente da Fifa. Eleito o melhor jogador de 2013 pela revista inglesa Four Four Two, o atacante do Real Madrid falou à publicação sobre o fato de ter sido chamado de “comandante” (relembre aqui), entre outros assuntos.

“Não estou certo de que a palavra comandante seja a mais indicada para mim. Temos muitos líderes no time, não só em campo como também fora dele”, disparou.

Tudo começou quando Blatter revelou que acha Lionel Messi o melhor jogador do mundo. Opinião não aprovada por Ronaldo e vários de seus defensores, assim como a imprensa, todos com a opinião de que uma figura como o chefão do órgão que rege o futebol mundial não deve revelar certas escolhas pessoais.

Sobre quem é melhor entre ele e o argentino do Barcelona, o gajo foi simples na resposta: “Somos jogadores diferentes”.

Agora, em vias da possibilidade de ser eleito o melhor da temporada pela Fifa, o atacante merengue desviou do assunto, dando credibilidade aos seus companheiros de Real Madrid e seleção portuguesa.

“Penso que estou fazendo um ano bom, mas o futebol é um jogo coletivo. Ninguém pode ser um grande jogador sem grandes companheiros. Eu sei que não seria o jogador que sou sem os meus colegas, sem os treinadores, sem os torcedores e sem a minha família”, disse.

Sem mais artigos